Rasteirinhas sem perder o estilo rock’n’roll!

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Vamos admitir que mesmo você sendo fiel ao seu estilo manter o visual rock’n’roll no verão as vezes é difícil. Principalmente quando o assunto são: sapatos! Tudo que a gente deseja quando os termômetros marcam 40 graus é andar por aí com os pés de fora.  Por isso usar o bom e velho converse ou as amadas botas fica complicado.

Selecionamos 10 rasteirinhas lindas e ~do rock~ pra manter a pose! E de quebra você fica conhecendo (ou relembra!) lojas de sapatos online.

1. Rasteira Urban animal metais Schutz R$ 350,00

2. Rasteira Santa Lolla Caveiras R$129,90

3. Rasteira de couro com spikes off white Shoestock R$159,90

4. Rasteira Renner gladiadora R$69,90

5. Rasteira em Couro e Pêlo Print Onça Corello R$ 219,00

6. Sandália Rasteira Cris Moraes R$ 152,60

7. Rasteira Feminina Sensuale Passarela R$69,99

8. Rasteira Party tachas Schutz R$290,00

9. ASOS Faster Studded Flat Sandals £25.00

10. Rasteira DI SANTINNI R$ 29,99


Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/rasteirinhas-sem-perder-o-estilo-rocknroll/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 403 Forbidden in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
Comentar

Tags:

Estilo: Sky Ferreira

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Desde 2010 que Sky Ferreira chama nossa atenção. A gente já tinha feito um post falando das músicas dela e com o tempo, o estilo da moça ganhou destaque.

Sky é modelo e cantora, estrelou a campanha da fragância CK One Schock da Calvin Kein e também é garota propaganda da marca Viggos, além de participar de vários editoriais de moda. Ela faz um pop alternativo, tem uma voz  incrível e uma das suas músicas, “Obsession” é trilha sonora do seriado Vampire Diaries.

Essa semana ela divulgou a versão dela para o clássico de Nancy Sinatra, Bang, bang e ficou maravilhosa!

O estilo de Sky Ferreira é um street chic destroyed bem interessante de se ver. Além dos cabelos lindos, loiros e com o volume certo! Aliás, diz Sky que o único segredo do cabelo magia é o shampoo e condicionador Mane n’ Tails, uma linha “inspirada” no tratamento para crinas de cavalo (se for pra ter o cabelo de Sky Ferreira, vale experimentar! haha).

No dia a dia Sky está sempre com os clássicos: t-shirts, blusas xadrez, jeans e suas inseparáveis botinhas.

Para os looks da noite, Sky se mantém fiel ao seu estilo underground e consegue  equilibrar o estilo grunge com um look mais sofisticado e quase nunca abre mão do batom Russian Red da M.A.C.

Pra copiar o estilo Sky Ferreira:

1. Batom Russian Red R$65,00

2. T-Shirt Sex Pistols R$45,00 

3. Anel garra R$42,00

4. Leather Biker Boots £55.00 

5. Mane n’ Tails shampoo R$49,00


Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/estilo-sky-ferreira/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 403 Forbidden in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
2 Comentários

Tags:

Os símbolos wicca e celtas na moda e na cultura pop.

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

Os universos da moda e da cultura pop sempre foram apaixonados por simbolismo, misticismo e mitologia. Já acompanhamos a febre de vários símbolos como as caveiras, corujas, asas e penas (que já foi tema de post aqui no GWS! Rapidinha Fashion: Símbolos). E também vimos quando o mundo caiu de amores pela mitologia das sereias (As novas queridinhas da cultura pop: sereias).

A nova investida são os símbolos wicca e celtasWicca é uma religião neopagã influenciada por crenças pré-cristãs e práticas da Europa ocidental que afirma a existência do poder sobrenatural (como a magia), os princípios físicos e espirituais. Foi a cultura wicca que inspirou o filme noventista Jovens Bruxas.

Celta é o nome dado ao conjunto de povos de várias tribos e pertencentes à família indo-europeia que se espalhou pela maior parte do Oeste da Europa a partir do segundo milênio a.C. As manifestações artísticas celtas são muito originais, com tendência abstrata na decoração de peças, com figuras em espiral, arredondadas e desenhos geométricos. Os celtas eram politeístas e adoravam um grande número de divindades associadas a atividades e fenômenos da natureza.

Nessa onda “mística” alguns símbolos da maçonaria e símbolos egípcios também entraram na onda. Como o olho da providência, o triângulo e a cruz ansata (também usada na wicca.)

Voltando a moda, no Brasil a marca carioca Espaço Fashion foi a que apostou mais forte na tendência tanto na coleção atual de verão quanto para a coleção de inverno 2013. Já na cultura pop a cantora Ke$ha usou e abusou dos símbolos no seu último clipe, Die Young.

Alguns símbolos se tornaram especialmente populares nos dias de hoje, olha só o significado deles.

1. Triângulo: O simbolismo do triângulo se cruza com o do número Três. E Três é universalmente um número fundamental que une o intelectual e espiritual, em Deus, no Cosmos e no Homem. Três, dizem os chineses, é um número perfeito, a expressão da totalidade, do todo acabado. O carácter chinês tsi, antigamente representado por um triângulo, exprime a noção de união e de harmonia.

2. Olho da Providência: O Olho da Providência é um símbolo exibindo um olho cercado por raios de luz ou em glória, muitas vezes dentro ou em cima de um triângulo ou de uma pirâmide. Costuma ser interpretado como a representação do olho de Deus observando a humanidade.

3. Cruz celta: Originalmente ela combina o símbolo feminino, o círculo, com o masculino, a cruz, para formar uma imagem que representa a união e é ligada a fertilidade. Esta cruz pré-cristã simbolizava as quatro estações e as quatro direções marcadas, simbolizavam a Terra. Mais tarde, a Cruz Celta foi adaptada pelos cristãos para representar a conexão entre o céu e a Terra.

4. Cruz invertida: A cruz de cabeça pra baixo tem origem católica. São Pedro (um dos apóstolos de Jesus) foi crucificado de cabeça para baixo. Pedro pediu esta forma de crucificação porque ele não se sentia digno de ser crucificado da mesma maneira que Cristo (na vertical). Por isso, alguns católicos usam esta cruz como um símbolo da humildade e da indignidade em relação a Cristo. Inclusive o Papa. A cruz de cabeça pra baixo também é associada aos satânicos e atitudes anti-religiosas (uma forma de protesto a igreja católica).

5. Pentagrama: Originalmente símbolo da deusa romana Vênus foi associado a diversas divindades e cultuado por diversas culturas. O símbolo é encontrado na natureza, como a forma que o planeta Vênus faz durante a aparente retroação de sua órbita. Trata-se de um dos símbolos pagãos mais utilizados na magia porque representa os quatro elementos (água, terra, fogo e ar). O pentagrama é conhecido também como o símbolo do infinito, pois é possível fazer outro pentagrama menor dentro do pentagrama maior, e assim sucessivamente.

6. Triquetra: Triquetra é um simbolo usado no cristianismo, na magia, na bruxaria e na Wicca. Originário das tradições Celtas, ele representa as três faces da Grande Mãe, a energia criadora do universo, cujas três faces são a Virgem, a Mãe e a Anciã. Também representava as estações do ano, que antigamente eram divididas em três fases: primavera, verão e inverno.

7. Cruz Ansata: O símbolo da vida, conhecido também como símbolo da vida eterna. Os egípcios a usavam para indicar a vida após a morte. A cruz ansata popularizou-se no Brasil no início dos anos 70, quando Raul Seixas e Paulo Coelho criaram a Sociedade Alternativa. O selo dessa sociedade possuía uma cruz ansata. Na cultura pop, ele foi associado pela primeira vez ao vampirismo e à subcultura gótica através do filme The Hunger – Fome de Viver (1983).

E vocês curtem a tendência?


Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/os-simbolos-wicca-e-celtas-na-moda-e-na-cultura-pop/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 403 Forbidden in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
3 Comentários

Tags:

A volta do vinil e das vitrolas.

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

Tudo bem, a gente sabe que hoje em dia tem rádio online, itunes e tudo quanto é coisa para se ouvir música. Mas toda essa modernidade que me desculpe, nada mais gostoso que ouvir música na boa e velha vitrola.

“Hein??? Vitroooola.”

O disco de vinil surgiu no final da década de 40, com o nome de LP (abreviação de long play) e desde então se tornou presente na indústria musical, sendo o principal meio de divulgação do artista para o seu público. Por muito tempo o disco de vinil reinou no mercado. Seu primeiro concorrente, surgiu em meados dos anos 60, o K7 (a fita cassete). A novidade era o recurso de poder gravar e regravar suas músicas preferidas, mas não com a mesma qualidade que o “bolachão” possuía.

A tecnologia evoluiu e o verdadeiro vilão concorrente do vinil, o CD (compact disc) surgiu no final dos anos 80. A praticidade do tamanho, facilidade de  gravação e fabricação fez com que rapidamente o bom e velho vinil fosse condenado a virar peça de museu.

No Brasil, o CD foi tão bem aceito que, aos poucos, as gravadoras deixaram de fabricar seus LPs e K7s, e deixaram reinar nas prateleiras a mídia digital. Os equipamentos das boates também mudaram e, assim, trocaram as picapes pelos CDJs.

Já nos anos 90 surge o Napster (primeira grande rede de compartilhamento musical), MP3, itunes, ipod… e vocês sabem como a história segue.

Mas o que ninguém esperava aconteceu. Dizem que foi por volta do ano de 2007 que a nostalgia bateu bonito em uma geração que em grande parte nem vivenciou a era “analógica”. Ouve um resgate e um aumento na venda e procura de revistas, máquinas analógicas (as lomos tão aí pra provar) e por vinis.

Em 2007, de acordo com uma pesquisa da Nielsen SoundScan – instituição que monitora a movimentação da indústria fonográfica -, cerca de um milhão de LPs foram comprados, contra 858 mil em 2006. Baseado nas vendas de 2008 até agora, esse número pode subir para 1,6 milhão até o fim do ano. Enquanto isso, segundo a Associação da Indústria Fonográfica da América, o consumo do CD caiu 17,5% durante o mesmo período. As vendas de toca-discos, as vitrolas, que despencaram de 1,8 milhões em 1989 cresceram para 275 mil em 2007, de acordo com Associação de Consumo de Eletrônicos – sofreram uma reviravolta no ano passado, quando quase meio milhão foram vendidos.

Agora é possível comprar versões em vinil de vários lançamentos. Bandas da nova geração investem no vinil como Black Keys, The Kills, Arctic Monkeys e Lana Del Rey.

1. The Black Keys – Brothers Double Lp – Vinil R$159,00

2. Toca-Discos Retrô Vertical de Parede R$389,90

3. Ramones – Too Tough To Die – Discos de Vinil – LP R$145,00

4. Rádio Ribeiro e Pavani – Autorama 5W c/ USB, MP3, CD, Rádio e Vinil R$ 1.169,10

Quem curte o bom e velho vinil tocando na boa e velha vitrola?


Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/a-volta-do-vinil-e-das-vitrolas/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 403 Forbidden in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
Comentar

Tags:

12