Mais uma tendência dos anos 90 está de volta: Tattoo choker!

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

tattoo-choker

A gargantilha, um colar super justo no pescoço foi uma das tendências mais fortes da década de 90. Os modelos mais populares eram dois: um em veludo, com um pequeno pingente, uma coisa assim meio celta. O outro modelo, bem justo a pele, de plástico preto ou colorido. A proximidade com a pele combinada com o “achatamento” do plástico faz com que  a gargantilha pareça uma tatuagem no pescoço e esse modelo ficou conhecido como Tattoo Choker.

tattoo-choker-quem-usa

A gente bem sabe que mil tendências inspiradas nos anos 90, ou diretamente tirada da época estão voltando com tudo. O tattoo choker parece ser mais uma delas. Pode parecer cafoninha a primeira vista, mas eu acredito que é possível fazer looks bem interessantes com a gargantilha.  Fica bem legal combinado com outros colares mais longos ou vários juntos e brincos grandes. Emma Roberts, Willow Smith e  Lourdes Maria (filha de Madonna) já andam por aí investindo na ideia.

As marcas já estão apostando fortemente na tendência e você pode encontrar o acessório em lojas como a ASOS e até nas brasileiras MOSS Store e Rich Bitch.

E vocês? Apostam ou não?

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura_NUTA

 

 

 


Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/mais-uma-tendencia-dos-anos-90-esta-de-volta-tattoo-choker/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
Comentar

Tags:

Primeiramente boa noite #29 – Alexandre

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por Gian Lucca:

#29

Teve um email que recebi esses dias que me perguntava o sentido dos meus títulos em cada post. Não tem sentido. Às vezes são expressões, às vezes só são músicas que eu tô ouvindo na hora de escrever. Alexandre é Alexandre. Pode ser Fernando, Maria, João. Não pode ser Pedro, nem Lívia. São dramas com nomes próprios. Quando você dá nome aos dramas e perrengues, parece que fica mais fácil. Tratar os problemas como pessoas fica mais fácil. Eu posso chamar um layout de Joana, e se o computador travar, posso mandar ela a merda, por exemplo. Mari, Ju e Anas, tantos nomes, mesmo propósito

É engraçado como às vezes surgem umas mensagens no seu celular de pessoas que você trepava no passado. Parece que rola um faro especial quando você fica numa paz. O lance de conhecer alguém bacana e se sentir bem prejudica o fator ex. O papo até rola, mas você acha tão sem sal, tão sem graça. Perde todo o encanto. Na verdade não perde, você que se sente um boçal por um dia ter achado bacana estar do lado daquela pessoa. Liberado sentir falta do sexo? Liberado sentir falta do sexo. Mas é só sexo. Entendi a expressão “fazer amor”. É tão diferente, tão, de fato, amor. É outra coisa. É tipo carne, tipo querer ver detalhes tão simples, entender como funciona o corpo que tá te possuindo. Porque possui, e a sensação é muito maior que uma bela chupada. Não arrepia, só faz o cérebro trabalhar num sentido inversamente proporcional. Compreensão, carinho, valores.

Uma vez eu escrevi um email muito difícil pra minha mãe. Nele eu contava várias coisas que estavam acontecendo na minha vida na época e eu queria muito contar tudo pra ela. Eu comecei com uma frase que não sei de onde tirei, mas naquele momento era o encaixe perfeito: “Eu tenho uma gota de um oceano inteiro. Resolvi acreditar nessa gota”. Desde então, uso na vida. Sempre acredito na minha gota. Acho que vou tatuar uma.

Rebuliço loco. Vida loca. Amor loco.

assinatura Gian_4 copy

Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/primeiramente-boa-noite-29-alexandre/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
Comentar

Tags:

Pintando o cabelo de rosa em casa

Por Carol Guido / carol@gwsmag.com

Tomei coragem! Quem nos acompanha no Insta (@girlswstyle, segue aí!) já viu que eu pintei meu cabelo de rosa e que foram alguns erros e acertos até conseguir fazer a cor pegar. Conversei com outras meninas que tem cabelo colorido, peguei muitas dicas de vocês nas redes sociais e entrei em incontáveis blogs e vídeos no Youtube para aprender tudo de cabelo colorido para conseguir fazer em casa.

Só para dar uma introduzida no assunto para quem nunca leu nada: Pintar o cabelo de colorido basicamente consiste em descolorir o cabelo até ficar quase branco para que o colorido pegue e depois pintar com tonalizante (ou tinta) da cor que preferir.

Então vamos lá que vou contar tudo que fiz e como cada produto funcionou no meu cabelo.

 cabelo-rosa-inspiracoes

 

As coisas que você tem que ter cuidado

Seu cabelo pode estragar

Eu não sou muito apegada ao meu cabelo. Já pintei de diversas cores, cortei cada hora de um jeito e por isso me senti segura em fazer tudo em casa. A Marie, que já teve cabelo platinado homemade, também tem uma vasta experiência e me ajudou na aventura.

Então a primeira coisa importante pra se ter em mente é: saiba que você corre riscos de sim, deixar seu cabelo mais ressecado, poroso, ou até estragar. Por que? Porque descolorir o cabelo é um processo muito agressivo e você não pode fazer repetidas vezes num curto período de tempo. Ou seja, as únicas garotas que podem ficar despreocupadas são as que tem cabelo loiro (tipo russa) natural.

Colorações anteriores atrapalham

Outra questão importante é se seu cabelo já tiver outras colorações. O meu tinha uns 4 dedos de raiz virgem e restante com um tonalizante caramelo (contei sobre ficar ligeiramente ruiva aqui). Isso atrapalhou bastante a nossa vida porque o descolorante não pegou direito onde o cabelo tava tingido, em compensação na parte virgem ficou super loiro, quase branco como eu queria.

Seu tipo de cabelo

O meu é muito oleoso. Muito mesmo. Do tipo que precisa lavar todo dia, precisa de shampoo especial passado pela dermatologista (Dra Bianca <3) e etc. Então, pra mim, esse processo todo que resseca muito o cabelo, é de uma certa forma, bom. O cabelo aguenta bem, mas as pontas sempre sofrem. Tem umas partes no comprimento e pontas que ficou com um frizz estranho que só dá pra sentir quando você pega. Sigo hidradando.

E se você tem cabelo normal, seco, sensível, precisa procurar cuidados específicos para te ajudar na saga. Mas o conselho geral é: triplique os cuidados e hidrate muito.

Fazer ou não em casa

Fazer no salão é sempre melhor, gente. Claro que tem que ser um lugar moderno (que entenda a pegada dos cabelos coloridos) e um bom profissional, mas considerando essas obviedades, é certo que os cabeleireiros vão saber muito mais de cabelo que nós.

Eu optei por fazer em casa porque, por mais que eu fizesse a primeira vez no salão, a manutenção da cor é frequente, então eu não ia poder gastar indo no salão todo mês. E conhecendo meu cabelo como eu conheço, já tendo pintado e feito outras aventuras em casa, sabia que daria certo.

A cor

Existem diversas tonalidades dentro de uma só cor. Eu só tinha uma exigência: que meu cabelo não ficasse rosa clubber. De resto, poderia ser qualquer tom de rosa que eu ia ficar feliz, ainda mais sabendo que desbota rápido e o tom desbotado é o meu predileto. Então não ser muito exigente com o tom exato é uma das coisas que me deu mais segurança pra fazer em casa. Acho que se você tiver muita fixação em uma cor específica, melhor desapegar e aceitar que o legal é ter seu cabelo colorido.  De uma lavagem pra outra tudo pode mudar e a vida é assim.

Bom, depois das mil e uma recomendações, vamos ao processo.

cabelo-rosa-descolorindo_2

Passo 1: Descolorir

Como eu fiz:

Misture a água oxigenada, o pó e as ampolas aos poucos até fazer um creme homogêneo (com a consistência tipo de Ketchup. Hahahah Minhas referências são péssimas).

Separe o cabelo em mechas.

Depois peça ajuda pra a sua amiga mais experiente passar o descolorante mecha por mecha, com muito cuidado para não deixar nada de fora. Quando acabar, passe papel alumínio (sim, bem tosca) em volta da cabeça com o lado fosco pra dentro.

Nós deixamos agir no meu cabelo 45 minutos. Você vai ter que sentir quanto tempo o seu precisa para descolorir. Mas não é recomendados deixar muito mais que isso.

Então lavei o cabelo normal para tirar toda a descoloração, secamos e repetimos o procedimento, desta vez deixando agir por 30 minutos. Alerta de perigo aqui: eu descolori 2x seguidas por que meu cabelo se comportou muito bem. Não ficou poroso, elástico, nada. Tem que tomar muito cuidado, tem relatos de pessoas que falam que o cabelo quebrou na metade, caiu, coisas do tipo. Se liguem, hein! Se tiver insegura, faz no salão!

Resultado:

Meu cabelo ficou um strawberry blonde bem digno. Fiquei com ele assim por mais ou menos duas semanas, só curtindo e hidratando dia sim dia não. Passei ampolas, máscaras, coisas do tipo. E nada no couro cabeludo, que no meu caso é oleoso.

cabelo-rosa-coloração

Passo 2: Colorir!

Na primeira tentativa passei essa Exotic Colors cor Rosa Super Blonde que ganhei da loja Ethus (lá tem roupas lindas, vocês tem que ver!). Não deu certo pra mim por que meu cabelo não estava branco como deveria. Eu só fui saber disso depois, quando postei no insta e todo mundo comentou que o problema tava aí.

Passei umas duas semanas pensando se daria certo tentar outros tonalizantes mais fortes ou se teria que descolorir mais. Mas resolvi tentar como estava. A única coisa que fiz para amenizar o avermelhado/amarelado foi passar este shampoo da Alfaparf chamado Alta Moda. O efeito é bem legal, mas dura pouco. Você tem que lavar sempre para ir desamarelando progressivamente. Ele tem um tom mega lilás que até mancha um pouco a mão. Mas nada que uma lavada não resolva.

Como eu queria ir logo pro colorido, fiz minha segunda tentativa, que deu certo, o tonalizante Yamá Fashion Colors.

Como eu fiz:

Misturei o tonalizante com a máscara hidratante.

Fiz isso por que o Yamá tem uma cor muito forte e eu queria amenizar um pouco para não ficar com o cabelo clubber. hahaha

Lavei o cabelo com shampoo normal, depois com ele ainda úmido, passei o creme colorido em todo o cabelo, mecha por mecha. Não precisa pincel, pode ser feito com a mão mesmo.

cabelo-rosa-resultado-final

Resultado:

A cor ficou linda! Durou uma semana e meia. Sim, muito pouco! Mas lembram que contei que lavo o cabelo todo dia? Pois é. E eu não quero passar tinta (que fixa muito mais que tonalizantes) por que elas são mais agressivas. Quero deixar meu cabelo o mais hidratado possível.

Ufa, escrevi uma bíblia!

Mas espero que tenha sido útil.

Contem nos comentários o que vocês acharam, se tem mais dicas e ideias para cabelos coloridos. Vamos trocar figurinhas!

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)
Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:
Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS
assinatura-Carol_11

Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/pintando-o-cabelo-de-rosa-em-casa/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
8 Comentários

Tags:

5 Garotas gente como a gente, lindas e estilosas pra seguir no instagram!

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

Nem só de K’s e gringas é feito o mundo de garotas interessantes pra seguir no instagram! Tem muita garota linda, estilosa, brasileira e recheadas de boas fotos pouco conhecidas para você seguir e se inspirar.  Fiz uma listinha de garotas comuns, gente como a gente que tem muito para mostrar pro mundo quando a questão é estilo e atitude. Prepara o follow aí!

@iasming-

– @iasming (2,147 followers)

O que eu mais gosto na Iasmin Guimarães  são as mudanças capilares! Ela é super estilosa e sem querer em suas fotos da boas dicas de livros e música.

@carmen_manzano

– @carmen_manzano (2,439 followers)

Carmen Manzano é brasileira, mas mora em Londres onde faz faculdade de moda na London College of Fashion. Ela tem um estilo super inspirador porque mistura muitos elementos e também é uma delícia acompanhar a rotina dela na terra da rainha.

@prismadofreud-

–  @prismadofreud (890 followers)

A Marrcela tem um talento incrível para tirar fotos legais de lifestyle, sabe? Por isso que eu adoro acompanhar o insta dela. Ela também é estilosa e monta looks bem possíveis, o que acho bem interessante.

@prettamesmo

–  @prettamesmo (7,851 followers)

A Cristiane é carioca mas mora em São Paulo. Além de gata ela monta looks lindos e fotos bem legais. Adoro quando ela posta registros do apê dela que é mega bem decorado!

witchery66

–  @witchery66 ( 750 followers)

Tamy Benevenuto tem toda essa vibe bruxinha mística que eu adoro. De quebra ela ainda curte tarô e tem um gatinho preto que é muito amor.

Você também conhecem garotas incríveis no instagram que quase ninguém conhece? Coloca aí nos comentários e compartilha com as irmã!

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)
Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:
Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura_NUTA

 


Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/5-garotas-gente-como-a-gente-lindas-e-estilosas-pra-seguir-no-instagram/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
2 Comentários

Tags: