Precisamos mudar nossa relação com a alimentação e exercícios físicos

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

detox

Ilustração: Isabela Gabriel especialmente para esse post

Passamos boa parte das nossas vidas, acreditando que existem apenas dois tipos de comidas: As gostosas e as “sem graça”. Na categoria comidas gostosas, só entram sorvetes, refrigerante, chocolate, hambúrgueres, batata frita e na categoria “sem graça” todos os legumes, frutas e saladas que sua mãe te forçava a comer quando você era criança. Nós da geração Y, crescemos acreditando que comer esses alimentos, fazia parte de estarmos sendo submetidas a um sacrifício e que comer alimentos gordurosos ou com muito carboidrato podia ser gostoso, mas estavam te condenando a ter “um corpo feio e uma saúde péssima”. Fico feliz de ver que a chamada geração Z tem uma relação diferente com a comida e que a “moda” de ana e mia que minha geração sofreu, foi substituída por uma vontade de ter uma vida equilibrada. De qualquer forma, ainda temos um longo caminho pela frente.

Eu, desde muito cedo, tive que me relacionar com esses alimentos “sem graça”. Já contei aqui que quando tinha apenas 10 anos, eu comecei a fazer dietas restritivas. E eu sofria ao ver minhas amigas comendo o famoso joelho de presunto e queijo da cantina enquanto eu, tomava uma vitamina de mamão com laranja. Tomar aquilo parecia um castigo. Um castigo que eu tinha que me submeter porque eu era gorda. Obviamente, isso durava 2, 3 dias e no 4° dia eu estava tão frustrada, que comia logo 2 joelhos. Esse comportamento faz parte do terror alimentar que somos submetidas. Nessa fase também começa a tal da educação física. Se você não tem habilidades incríveis com a bola, ou correndo ou em esportes em grupo em geral, sempre é a última a ser escolhida. Se tem um corpo excessivamente magro, ou gordo, será zoada, fato. Nessa fase, se você não se encaixar no perfil atlético, já vai começar a torcer o nariz para qualquer tipo de atividade física. Afinal, exercícios serão sinônimos de boladas na cara, de se sentir excluída e desengonçada. E assim a gente cresce, aprendendo que comidas saudáveis e naturais são castigo, que comidas calóricas são veneno e que se exercitar é chato. Ou seja, um beco sem saída em que a única relação possível é a desequilibrada.

Daí a gente chega na adolescência e a cobrança pelo ‘corpo de gatinha’ só cresce. Nas bancas, dietas absurdas que sugerem coisas como “dias só de sopa”, transformam a relação que já era ruim com alimentos saudáveis em um pesadelo. Óbvio que vai ser um pesadelo. E não por causa dos alimentos que as revistas sugerem  que você coma e sim, COMO elas sugerem que você coma. Ninguém vai gostar de legumes tendo que se empanturrar de sopa nas 5 refeições do dia. Os alimentos que fazem bem para o funcionamento do nosso corpo, que nutrem a gente e que nos mantém saudáveis, são a vida toda, vendidos para gente como um remédio amargo para se livrar de um corpo que fomos também, ensinadas a odiar. Nessa mesma fase, entrar em uma academia é como entrar em uma sala para ser julgada. Atire a primeira pedra quem nunca se sentiu analisada da cabeça aos pés na musculação ou simplesmente não conseguiu manter a rotina na academia porque não se sentia confortável no ambiente. Parece louco, mas de alguma forma, criamos uma cultura que academia não é lugar de quem quer praticar atividade física e movimentar o corpo, mas sim, lugar para concurso do corpo mais sarado.

E assim, vamos chegando a vida adulta, sem o hábito de se exercitar e usando comida como recompensa ou punição. Não precisa ser assim, não tem que ser assim. Se exercitar faz bem pro corpo e para mente. Diminui o stress, a ansiedade, ajuda a circulação, abaixa o colesterol, fortalece os ossos, aumenta o nível de neurotransmissores, como a noradrenalina, a serotonina e a dopamina, que produzem uma sensação de relaxamento e bem-estar. Se exercitar não significa que você odeia seu corpo e quer desesperadamente modifica-lo. Significa que você ama seu corpo! E quer manter ele equilibrado, feliz, forte e saudável. Por isso que eu digo que a nossa relação com a atividade física tem que mudar. Malhar não é coisa de musa fitness, não é coisa de gente sarada, não é coisa de gente que está de dieta. É coisa de gente que quer equilíbrio e uma vida feliz. Lembro uma vez que vi um vídeo da maravilhosa Ju Romano, dizendo que um dia na academia o professor perguntou se ela já tinha emagrecido e se estava atingindo seus objetivos. E ela respondeu: “Meu objetivo é subir uma ladeira sem colocar os bofes pra fora”. Uma boa parte das academias e professores de educação física não estimulam você a ter uma vida equilibrada e se você não está no padrão fitness, está na academia para ficar saradona.

O preconceito também é uma das grandes razões do relacionamento torto que temos com a alimentação, com os exercícios e portanto, com os nossos corpos.Vou dar um exemplo real da minha vida para ilustrar. No geral, sempre gostei de frutas, saladas e sucos. Mas pelo fato de eu não ser padrão de corpo, esse hábito sempre causou estranheza nas pessoas. Quando escolho salada no restaurante, tem sempre alguém para perguntar: “Está de dieta?”. O fato de eu amar suco verde então… Sempre foi polêmica. Uma vez pedi um suco verde em uma casa de sucos e a atendente simplesmente começou a me dar receita da “dieta da Lua”. Juro. Assim, sem mais nem menos. Lembro que quando eu trabalhava em assessoria de imprensa, eu era a única gordinha da equipe de quatro meninas e a única também que comia salada. Uma delas, sequer tinha experimentado alface na vida. Como se ser magra, te libertasse de todas as mazelas que uma alimentação pobre em vitaminas e nutrientes pode te trazer. Mas não era culpa delas. Fomos ensinadas assim, que salada e legumes servem para te emagrecer e que pizza e batata frita para te engordar e ponto final. E não é bem assim. Saladas, legumes e frutas servem para te nutrir, para te curar, para te fortalecer. E as tal ditas “besteiras”servem para te confortar, para a gente socializar, para descarregar o stress. Ninguém precisa e não deve ser escrava de nenhuma das duas categorias. Apenas encontrar o equilíbrio entre elas. Vamos parar de terror nutricional? De demonizar a comida?

Esse não é um post levantando bandeira sobre comida natural, nem a favor de junk food. Percebo que a maioria das pessoas, não conseguem se amar e ter uma autoestima boa porque só trabalham com extremismos. Se amar e aceitar seu corpo não significa passar todos os dias em frente a TV comendo cheetos e tomando Coca-Cola. Mas significa saber que quando isso acontece, não é o fim do mundo, que é gostoso fazer esse tipo de programa de vez em quando e que você não precisa se sentir culpada por isso. Equilíbrio sempre será o segredo de uma relação saudável com você mesma.

Quando você ama seu corpo você entende que ele precisa se movimentar, que ele precisa de nutrição e que ele também precisa relaxar e comer uma barra de chocolate. Sua relação com a comida muda, porque toda mudança se torna natural e orgânica e não forçada, movida pelo ódio em frente ao espelho. Uma das pessoas que eu mais gosto de papear nessa vida é a minha amiga e blogueira Raquel Arellano. Sempre conversamos sobre como é importante e transformador encontrar esse equilíbrio na vida. Pra mim, ela é um exemplo. Uma garota que ama comida e expressa todo esse amor no blog Gordelícias e é apaixonada por corrida e mostra toda essa paixão no Coração nos Pés. Viu só? Uma coisa não exclui a outra. Quando  comer alimentos saudáveis são fruto da sua escolha, você finalmente começa a gostar deles. Quando você se sente menos culpada comendo os alimentos que as pessoas adoram chamar de “proibidos” tem menos ataques de gula. E quando você entende que exercício não tem a ver com corpo perfeito, encontra nele um hobby delicioso para recarregar as energias. Eu aprendi muito sobre alimentação e equilíbrio no site de uma nutricionista consciente. O blog chama “Não sou exposição” e as postagens são sempre incríveis. Foi no blog dela que eu também vi a recomendação do livro maravilhoso da Lígia Fabretti chamado “Menos dieta, mais amor”.

Você pode e deve movimentar seu corpo não importa seu peso, sua estrutura. Você pode e deve saber dos benefícios dos alimentos, não importa seu peso ou tamanho. Saúde não está em um corpo especifico, nem em escolhas extremistas. Saúde é parar de torturar seu corpo e sua mente, não tem nada a ver com privações, nem regras. Saúde é amor, comida é amor. Toda mudança só é real através do amor e autoconhecimento. Ame seu corpo.

assinatura_2016_nuta-vasconcellos1


Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.gwsmag.com/precisamos-mudar-nossa-relacao-com-a-alimentacao-e-exercicios-fisicos/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
10 Comentários

Tags:

#MãeNuta: Cristais e minerais, como usar energeticamente as pedras

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

#maenutaIlustração: Isabela Gabriel especialmente para a coluna #MãeNuta

Como algumas de vocês já sabem, eu sou mística. Pouca gente entende o que isso significa, então vou explicar: Misticismo é a prática, estudo e aplicação das leis que unem o ser humano com a natureza, sem dogmas ou religião. O místico estuda várias vertentes do misticismo, como astrologia, tarô, cristais, runas… E como tudo na vida, você se identifica mais com um estudo e se aprofunda mais nele. No meu caso, foi o tarô. Eu me interessei por esse universo muito cedo, com 6 anos eu já amava duendes e fadas e com 10, falava que era cigana. Com 14, eu comecei um curso de tarô e desde então, sempre estudei o misticismo. Sempre gostei, usei e acreditei muito na força dos cristais, mas só comecei mesmo a estudar com profundidade, tem um pouco mais de 1 ano. Então o post de hoje vai ser super básico! Uma introdução mesmo. E se vocês se interessarem mais sobre o assunto, falo com mais profundidade em outros posts. Também tenho uma pasta no Pinterest sobre o tema que eu sempre atualizo.

O que são e para que usar cristais?

Os cristais são energia materializada. Eles foram criados quando a Terra se formava e continuaram a se metamorfosear à medida que o próprio planeta se transformava. Ou seja, os cristais são o DNA da Terra, seu registro químico de evolução. Energia pura. Cada cristal é único, e eles sempre foram conhecidos por sua beleza e poder de cura. O cristal exerce uma profunda influência nos homens e têm sido utilizado na procura do equilíbrio físico, vital, emocional, mental e espiritual. Para ter uma ideia de sua importância mística, os gregos consideravam os cristais como o terceiro olho da Terra e os romanos utilizavam para os rituais de captação de energia do cosmos.Eles são, principalmente, potentes fontes de energia, com inúmeros benefícios que podemos conseguir através das pedras quando usamos corretamente. A energia do cristal purifica o ambiente e a aura, fornece proteção, irradia boas vibrações e proporciona o equilíbrio e a cura física, emocional e espiritual.

Qual cristal escolher?

Escolha seu cristal de acordo com as suas necessidades mais fortes no momento. Física, emocional, espiritual… tanto faz. Existem uma infinidade imensa de pedras para todos os tipos de questões. Se eu fosse falar sobre todos, a lista ficaria gigante! Caso vocês sintam falta de algum em especifico, respondo nos comentários ou até quem sabe, faço um outro post. Mas coloquei aqui meus preferidos e as questões mais comuns. Mas pesquisem! Recomendo muito o livro A bíblia dos cristais e blog eu amo, amo o Mundo dos cristais.

Amor e relacionamentos: Quartzo rosa

d6beaa3de171b0ca9abe741c780551b8

O quartzo rosa é conhecido como a pedra do amor. Ela tem a fama popular de ser boa para arrumar namorado ou para “firmar” um relacionamento, mas na verdade, ele é a pedra muito mais especial que isso. É a pedra do amor-próprio, do amor incondicional. Não é por acaso que o quartzo rosa foi relacionado com a Deusa Afrodite na antiguidade. É uma pedra utilizada no chakra cardíaco (no coração), centro energético das nossas emoções. A energia dessa pedra dissolve as cargas acumuladas no coração que o impedem de dar e receber afeto. Ajuda a apagar as tristezas, as mágoas e ressentimentos e a enxergar relacionamentos e paixões com mais clareza. Ela tabém melhora a ansiedade, frustração e stress.

Proteção física e energética: ônix

85f3e917ccfb15c2b678fe584897e978

Nosso dia-a-dia, somos impactados por energias positivas e energias negativas. Uma forma de se proteger é ter um ônix sempre por perto ou com você. Este quartzo preto é uma pedra que atrai magneticamente as vibrações negativas, absorvendo e dissolvendo-as. Pensamentos negativos como a inveja, por exemplo, são energias dissonantes e desequilibradas que a ônix capta e dissolve.Em contato com uma pessoa, o ônix limpa o campo energético, pois trabalha também com as próprias energias negativas do seu dono. Em casa, ele limpa o ambiente, impedindo que impurezas astrais se acumulem. O ônix transmite seriedade, humildade e confiança. Essa pedra leva luz à escuridão, ajuda a atravessar momentos difíceis. Também garante o controle de paixões em desarmonia e preserva os ânimos da impulsividade, poupando as pessoas de brigas desnecessárias.

Saúde, cura e bem-estar: Quartzo verde (Aventurina)

f936ed1ee643956aba426ec71ec18a85

A cor verde é calmante, desinfetante e desintoxicante. Alivia o stress, traz equilíbrio para o organismo, devolvendo o ritmo cardíaco, ajuda a encontrar a paz mental e espiritual. Diminui perturbações psicossomáticas e medos. O efeito calmante sobre os nervos traz alegria e bem estar. Na meditação, ela é apreciada devido ao reconhecimento de bloqueios profundos e das perturbações psicossomáticas. Aumenta a resistência, paciência, equilíbrio emocional, sono e sensação de bem-estar. Faz muito bem pra pele, cicatrizações e cura de alergias. Atua também contra a queda de cabelo, caspa e problemas capilares em geral. Coloque a Aventurina à noite dentro de água e limpe os cabelos no dia seguinte com essa água ou a pele doente. Acalma a irritação dos olhos e pode ser empregada como complemento do banho para sensação geral de bem-estar. Resumidamente o quartzo verde é conhecido pela sua força dinâmica para acalmar, curar e equilibrar.

Prosperidade e sucesso: Pirita

16035328f2e53b131b4eaddabe9fc4a5

Para começar é importante falar que não existe essa coisa de “pedra pra ganhar dinheiro”, mas a pirita pode ajudar você a ter uma visão mais positiva da vida e clareza. Esta visão positiva e confiante, ajuda a alcançar o sucesso. A pirita desperta a competência, dedicação, força de vontade, inteligência, estratégia e ação.Usamos a pirita para simbolizar essa junção de forças e nos lembrar dos nossos objetivos. É uma ótima pedra para se ter na mesa de trabalho, ou se você está começando algum projeto novo.

Energia positiva, pedra universal: Quartzo branco

808c168e8d5cdd8ed42a1db2108988c0

O Cristal de Quartzo Transparente, também chamado de Cristal de Rocha, tem grande propriedade curativa. Pura luz branca atravessa facilmente, deixando todas as cores do espectro inalteradas, ajudando a levar luz para o ambiente. O Quartzo de Rocha age como um purificador e se conecta na freqüência do seu dono. Portanto, os cristais de rocha desempenham um importante papel na harmonia e ajudam a balancear todos os estímulos, positivos ou negativos. Tem propriedades purificantes e a beber água em que o cristal repousou por algumas horas, promove bem-estar de todo o organismo e acalma o sistema nervoso.

Equilíbrio e sabedoria: Ametista

4722806ba16cd07e71dd8ebd42a03889

A Ametista tem uma ligação direta com a mente. Ajuda as pessoas a ficarem menos dispersas e a e a terem mais controle dos pensamentos e objetivos. Isso faz com que elas centralizem e equilibrem altos e baixos emocionais extremos. A Ametista ajuda você  a confiar mais na sua intuição, aumenta a capacidade da memória e a motivação. Os objetivos tornam-se mais claros, mais realistas e fáceis de alcançar. A pedra ajuda pessoas com insônia ou sono tumultuado. Por causa de sua habilidade em acalmar a mente e focar a atenção. Boa pedra para ter na cabeceira da cama, ou embaixo do travesseiro, já que ela também ajuda a lembrar dos seus sonhos. É útil para descarregar raiva, medo e ansiedade.

Como limpar e energizar sua pedra?

Obviamente você pode ter vários cristais, com vários benefícios. Você pode ter decorando a sua casa, no seu colar, pulseira, ou em um saquinho para andar com você na bolsa, com uma combinação de várias pedras, tipo uma patuá, sabe? Depois de comprar seu cristal é muito importante limpar, energizar e programar. E repetir esse processo de tempos em tempos, conforme você achar necessário (repito o processo com os meus mais ou menos 1 vez a cada 2 meses, mas nesse caso, siga a sua intuição)  Existem várias formas de fazer isso e algumas funcionam melhor do que outras, depende da pedra. Sempre bom dar uma pesquisada mais profunda antes. As formas mais comuns de limpar, que funcionam para quase todo tipo de pedra: Água corrente (de preferencia cachoeira), água com sal grosso (sempre em vasilhas de vidro!),  com smudging , incensos, enterrar na terra ou óleos essenciais (borrife os cristais com spray ou lave-os com sabonete preparados com os óleos essenciais de Eucalipto, Lavanda, Junipero ou Olíbano). Depois que você limpou a sua pedra é a hora de energizar. Nada melhor do que deixar no mínimo, 6 horas na luz do sol ou na luz da lua. Limpo e energizado, está na hora de programar seu cristal. Programar a pedra é o último passo. Programar é projetar um pensamento. Pense positivo e com clareza. Esta ação ajuda a concentrar-se precisamente no que deseja que o seu cristal faça por você e, assim, garantir que ele cumprirá a sua missão. Basta segurar o cristal em ambas as mãos e mentalizar o objetivo. Pronto! Agora você pode usar como e aonde quiser. Lembre-se sempre de repetir o processo caso alguém pegue nas suas pedras.

Curtiram esse post? O que mais querem ver na tag #MãeNuta?

assinatura_2016_nuta-vasconcellos1


Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.gwsmag.com/maenuta-cristais-e-minerais-como-usar-energeticamente-as-pedras/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
25 Comentários

Tags:

Clube da Música GWS #5: The Outs

Por Marie Victorino / marie@gwsmag.com

Oi, gente! Demorou, mas o #ClubeDaMúsicaGWS voltou! Eu não tinha a intenção de deixar tanto tempo sem essa tag, porque eu realmente gosto de ouvir e divulgar bandas independentes!

Antes de tudo, uma breve explicação pra quem não sabe como funciona:

– A gente escolhe uma banda (ou um álbum) pra ouvirmos juntos durante uma semana.

– Através do evento no facebook, todo mundo pode dar opiniões e trocar ideias e informações sobre a banda.

– No final, eu reúno as opiniões mais legais e acrescento aqui no fim do post!

Lembrando que a ideia principal é conhecer bandas novas e valorizar a cena nacional e independente (mas não é uma regra!). Se quiser deixar sugestão de bandas, fica a vontade!

gws-clube-da-musica-the-outs

Bom, a banda que eu escolhi pra esse retorno, é a The Outs. Eu já conheço eles há bastante tempo, acho que desde 2009, por aí… Porque eles começaram como banda cover do Oasis (!) e a gente sempre ia nos shows. Mas desde essa época (ou talvez um pouco mais recente), eles colocavam uma ou duas músicas autorais no repertório e já dava pra saber que eles eram muito bons além do cover, que também era ótimo! A voz do Tiago é absurdamente boa e eles carregam no currículo um elogio de Noel Gallagher, de um concurso que participaram!

De lá pra cá, eles foram evoluindo como músicos e assumiram a The Outs como banda autoral. Eles até participaram do reality da Sony: Breakout Brasil e chegaram até a final. Veja aqui uma entrevista que eles deram pra Billboard, em que falam do som da banda e da participação no programa.

O som deles tem MUITA influência do britpop! Não podia ser diferente, até porque tá bastante claro que eles passaram a adolescência curtindo muito essa cena inglesa dos anos 90, assim como a gente. Mas a gente também consegue sentir muita influência dos anos 70, com uma boa dose de psicodelia… E as letras são em inglês.

Bom, eu poderia ficar aqui fazendo textão sobre eles, porque eles realmente tem um trabalho consistente e que eu admiro muito. Mas acho bom a gente ir pra melhor parte que é ouvir a banda. Eles volta e meia fazem shows aqui no Rio, recentemente abriram para os ingleses do Temples, no Circo Voador, então vale ficar ligada na fanpage deles pra saber as datas. No momento, a banda tem 2 EPs gravados: o “Spirial Dreams” e um que é edição limitada, “Marmalade Land”.

Integrantes: Tiago Carneiro (voz), Dennis Guedes (guitarra), Vinícius Massolare (baixo) Gabriel Politzer (bateria).

Vamos ouvir juntos e comentar lá no evento do facebook? Espero que vocês se animem!

Links da banda: Site // Facebook // Twitter // YouTube // Instagram // SoundCloud

assinatura_2016_marie-victorino-1


Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.gwsmag.com/clube-da-musica-gws-5-the-outs/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
2 Comentários

Tags:

5 COISAS QUE NÃO DOU A MÍNIMA: Cristal Muniz

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Vocês já sabem que a tag “5 coisas que não dou a mínima” nada mais é do que um espaço para divulgar mina foda, que a gente admira de verdade o trabalho e a personalidade. Portanto, essa garota não poderia ficar de fora. Cristal Muniz é designer gráfica, mas o trabalho incrível dela é como ser humano mesmo. Em 2015 ela decidiu parar de produzir lixo (ou o mais próximo de zero possível) por um ano, inspirada na Lauren do blog Trash is for Tossers, e criou um blog chamado “Um Ano Sem Lixo” para compartilhar a rotina e dicas para quem pensa em fazer o mesmo e reduzir sua produção de lixo ao máximo ou quem sabe, ao zero.

gws-5-coisas-cristal-muniz1

 

Zero-lixo significa que: Ou a embalagem é 100% reciclável, ou no caso de alimentos, pode virar compostagem. Mas, além disso, a ideia é buscar alternativas que não usem embalagens, coisas que possam ser feitas em casa com ingredientes naturais, produtos de empresas que se preocupem com o destino das suas embalagens, produtos veganos, naturais, sem ou com o mínimo de químicas possíveis. A ideia é  pensar em alternativas e criar novos hábitos. Então Vem saber 5 coisas que a Cristal, não dá a mínima!

1. Canudinhos

Nunca gostei muito de usá-los, sempre preferi beber direto do copo (ou da garrafa, ou da lata). Hoje em dia recuso veementemente porque os canudinhos são um lixo super problemático. Pequenos, eles costumam ir parar em rios e mares quando jogados fora inadequadamente e lá são confundidos com comida pelos animais marinhos. Assim, eles podem ficar trancados no sistema digestivo dos bichinhos e levar eles a morte. Super triste.

2. Pessoas que acham que uma pessoa não faz a diferença

Nesse caso eu até dou a mínima, faço questão de falar sempre que todo passo, mesmo que de formiguinha, faz sim a diferença! Uma pessoa faz diferença sim!

3. Marcas que dizem que são boazinhas mas produzem coisas duvidosas

Sabe aquela marca de moda que, de repente tem um discurso amigável com o planeta? Aquela marca de cosméticos cheios de ingredientes nocivos e perigosos que diz que não mata florestas? Não dá pra acreditar nessas baboseiras. Prefiro sempre do pequeno e duvido e questiono tudo de empresas que a gente sabe que produzem coisas poluentes.

4. Café em cápsula

Café em cápsula é caro, não é tão gostoso assim e gera uma quantidade de lixo ABSURDA. A maioria das cápsulas nem pode ser reciclada por conta da mistura de materiais ali. Mesmo que um dos fabricantes diga que recicle as cápsulas, sabemos que a sua grande maioria vai ser descartada com o café dentro e ir direto para os aterros. Se você ainda toma, pelo menos lave e tire o café de dentro antes de descartar, ok? Depois migra pro café coado ou compra uma cápsula recarregável e usa um pó orgânico.

5. Ter mais trabalho fazendo compras

Explico: não me importo de carregar minhas bolsinhas de pano, saquinhos e potes de vidro para ir comprar coisas a granel. Me sinto feliz e satisfeita quando chego em casa sem nenhuma embalagem e posso guardar as coisas todas direto na estante.

Curtiu as 5 coisas que eu não dou a mínima dela? Se identificou? Se inspirou? Conta pra gente!

Pra acompanhar a Cristal: Instagram . Pinterest . Facebook . Blog

 


Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.gwsmag.com/5-coisas-que-nao-dou-a-minima-cristal-muniz/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
13 Comentários

Tags:

123