5 COISAS QUE NÃO DOU A MÍNIMA – Barbara Gondar

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Quem participa da nossa TAG “5 coisas que não dou a mínima” dessa vez é a designer, ilustradora, caloura em História e criadora do fanzine feminista Xereca, Barbara Gondar.  Antes de conhecer a Barbara, nós conhecemos o zine Xereca, na feira de arte impressa Pão de forma e foi paixão a primeira vista. Dava para ver na hora que o fanzine tinha sido criado por uma mente muito criativa e esclarecida e foi assim que corremos atrás de saber mais sobre a dona da Xereca.

Essa carioca, que foi criada em SP mas que voltou para o Rio há 2 anos e meio mantém a página no facebook Xereca (vale super seguir!) onde ela divulga o zine e outros projetos incríveis como por exemplo o Cine (clube) Xereca em que a proposta é ter uma tarde de filmes, debates e música, fortalecendo o movimento feminista. ♀♀♀

Barbara-Gondar

Agora vem saber as coisas que a Barbara está cagando e andando!

1.Rodrigo Constantino

Quando eu entendi que o Constantino era um infiltrado da esquerda pra ridicularizar a direita liberal, eu passei a não dar a mínima.

2. Comer carne

Jamais me imaginei ovo lacto (via láctea haha) vegetariana. Nunca consegui cozinhar carne em casa, mas consumia muito fora de casa e sempre gostei muito. Comecei a namorar um vegetariano e meu consumo de carne diminuiu muitíssimo naturalmente. Com o feminismo eu aprendi a respeitar todas as lutas e mais do que isso, entendi que todas estão interligadas. Foi quando eu parei completamente de comer carne.

3. Arte (acadêmica)

Já estudei muito história da arte e sou fascinada por todos os movimentos, mas a arte é castradora, classista e eurocêntrica. Aprendi a fazer uma desconstrução e identificar movimentos artísticos independentes como as expressões democráticas e legítimas de arte.

4. Fagocitose

Não dou a mínima pra fagocitose porque sei que existe uma explicação plena e perfeita de como acontece e de quão coerente é, diferentemente de pastores evangélicos na política.

5. A regra de não colocar Ketchup na pizza em SP (e no mundo)

Eu nasci no Rio aonde comemos pizza com ketchup e com 10 anos, fui morar em SP com meu pai. Fiquei 16 anos lá e voltei pro Rio faz pouco tempo, mas vivo no trecho RIO-SP. Podem olhar feio o quanto quiserem paulistas, mas ketchup na minha pizza não vai faltar!

E vocês, o que não dão a mínima nesta vida, mas que você percebe que muita gente dá? Se identificam com alguma das 5 coisas da Barbara? Conta pra gente aí nos comentários!

Para acompanhar a Barbara: Instagram //Facebook // Site 

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

Tags:


8 + 5 =


0 Comentários