A gente não precisa de flores, precisa de respeito.

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

10614266_792783490803400_3637210379800448413_n

Domingo é dia 08 de março, ou o Dia Internacional da Mulher, ou como eu gosto de chamar, o dia que eu menos gosto no ano. Mas por que uma feminista não gosta do dia que existe pra homenagear a mulher? Bom, vamos começar pelo clichê de que todo dia é dia da mulher? Pelo menos pra mim. Eu acordo e vou a luta todo dia. Mas pior do que isso, é o dia onde todas as “homenagens” mais ridículas do mundo podem ser vistas. Amigas, se não existe UM SÓ DIA nessa internet que a gente não dê de cara com um absurdo, uma pororoca de chorume em comentários de textos que defendem a igualdade entre gêneros em páginas machistas, racistas e homofóbicas, no dia 08 de março é como se todo o lixo que a gente lê nos outros 364 dias, fossem reunidos em um dia só. Afinal, é dia internacional da mulher e de dar descontos em máquinas de lavar roupa e louça (afinal, mulher adora lavar roupa), é dia de comprar um conjunto de panelas com 50% de desconto (afinal, mulher ama cozinhar), é dia de muitas montagens com fotos de bebês (afinal, toda mulher quer ser mãe), é dia de fazer muitas piadas com TPM, sobre mulheres serem confusas, gostarem de maquiagem e sapatos, é dia de dizer que somos fortes porém frágeis (whaaaat) e obviamente, muita, MUITA foto de mulheres bonitas sendo bonitas. Desafio todas as amigas a conseguirem chegar ao fim do dia nas redes sociais dia 08 de março sem ficar estressada.

Eu poderia fazer um texto histórico e didático sobre o Dia Internacional da Mulher, mas a verdade é que ninguém tem certeza de nada sobre o assunto. Não existe certeza histórica, apenas alguns mitos de como esse dia foi escolhido. Tem gente que acha que nasceu na Revolução Russa, e tem as correntes mais conhecidas que defendem que o dia surgiu das mulheres que foram mortas porque ficaram presas dentro da fábrica em NY durante um incêndio. A verdade é que todos os caminhos levam apenas a uma realidade: a exploração da mulher através da História e da total falta de condições sociais e econômicas para uma existência digna. Nós não precisaríamos de um Dia Internacional da Mulher se fôssemos tratadas com igualdade e respeito no dia a dia. Assim como os negros não precisariam do Dia da Consciência Negra se não tivessem sido explorados e vilipendiados ao longo da História, assim como não haveria a necessidade de um Dia da Visibilidade Gay se os gays tivessem os mesmos direitos civis que os héteros. Não precisaria haver nenhum feriado, nenhuma homenagem, nenhuma promoção no Ponto Frio se fôssemos TODOS IGUAIS.

aspas-dia-da-mulherAs flores que os comerciantes entregam as mulheres nas ruas não me diz nada. As homenagens toscas que a mídia faz sempre usando alguma caricatura do que se entende por ser mulher também não me diz nada. Nem toda mulher é mãe, nem toda mulher é fofa, nem toda mulher gosta de homens, nem toda mulher anda de salto, nem toda mulher usa batom vermelho, nem toda mulher tem TPM, nem toda mulher usa saia, nem toda mulher atende ao que o capitalismo espera que uma mulher seja pra que ele continue ganhando rios de dinheiro em cima de nossas inseguranças e corpos. O que toda mulher quer é respeito e esse dia deveria ser mais usado para lembrar isso.

Ser mulher não é ser o que a mídia diz que você deve ser. Seja o que você quiser ser. Seja o que te dá vontade. Seja o que te faz confortável. Seja feliz.

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura Pollyana

Tags:


4 + 3 =


0 Comentários