André Courregès é tendência em pleno 2013!

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

Tá mais do que na cara da sociedade que a moda 60’s está de volta.  O shift dress, os brincos gigantes, as formas geométricas, a make com olhos super marcados… Mas eu estava olhando e olhando de novo alguns desfiles, campanhas e editoriais em revistas e percebi que a “referência” era muito mais específica do que a gente pensa. Lembrei das minhas aulas de história da moda na faculdade… e pimba! (sempre quis escrever isso) André Courregès me veio a cabeça.

Depois de trabalhar por dez anos na Balenciaga, o estilista francês André Courrèges  lançou sua própria grife em 1961. Mas foi em 1964, quando lançou sua coleção Space Age e suas “Moon Girls”, que ele revolucionou a alta costura.

Courrèges dizia que criava suas peças pensando na mulher dos anos 2000. Foi um visionário e sua revolução  não foi apenas inovadora em sua arte de criar roupas, mas também ao antecipar muitas ideias, como a praticidade e o conforto para a moda do futuro. “Hoje, a mulher é igual ao homem, trabalha, tem mil afazeres. Por isso é preciso facilitar sua vida e lançar mão de todo o avanço tecnológico que traz esta facilidade.” Já dizia o sábio estilista em 1965 que também foi conhecido por ser “o mestre da moda mod” para mulheres.

André Courrèges foi o primeiro estilista a investir na geometria futurista, a misturar listras com círculos, a apostar na mini-saia (ok, isso ele disputa com Mary Quant) e a brincar de beetlejuice. Digo até mais: Courrèges foi um dos primeiros estilistas a vender “lifestyle”, a pensar em um público alvo, a criar a moda de passarela.

Foi também um dos primeiros estilistas a investir em um fashion film (tá achando que isso é coisa de anos 00’s?), em 1965:

http://youtu.be/V7fjF4EUrMU

André Courregès também flertou com Hollywood no filme “Um Caminho para Dois” (Two for the Road) de 1967, com  Audrey Hepburn. Ele foi responsável pelo figurino junto com nomes importantes da moda dos anos 60 como John Bates, Paco Rabanne, Mary Quant e Pucci. (Aliás assistam “Um caminho para dois”. Vale totalmente pelo figurino e também pra ver o início das comédias românticas).

Courregès voltou a trabalhar com Audrey Hepburn no filme de 1966 “Como roubar um milhão de dólares” (How to Steal a Million) onde criou um dos looks mais icônicos da moda e do cinema com o chapéu de equitação misturado com um capacete militar. (feito igualzinho agora no primavera/verão 2013 da grife Moschino).

O que podemos dizer? Courrèges estava certo. Ele sabia exatamente o que uma mulher dos anos 2000 queria. E deve ser incrível aos 90 anos ver isso de volta as passarelas e capas de revista.

 

Tags:


5 + 2 =


2 Comentários