Clube da Música GWS #4: Fuzzcas

Por Marie Victorino / marie@gwsmag.com

E aí, alguém sentiu falta do #ClubedaMúsicaGWS? Em meio a tantos lançamentos #quentes de Ri Ri’s e Lovato’s, eu continuo aqui, querendo incentivar a nossa música independente!

Antes de tudo, uma breve explicação pra quem não sabe como funciona:

– A gente escolhe uma banda (ou um álbum) pra ouvirmos juntos durante uma semana.

– Através do evento no facebook, todo mundo pode dar opiniões e trocar ideias e informações sobre a banda.

– No final, eu reúno as opiniões mais legais e acrescento aqui no fim do post!

Lembrando que a ideia principal é conhecer bandas novas e valorizar a cena nacional e independente (mas não é uma regra!). Se quiser deixar sugestão de bandas, fica a vontade!

11857705_10204751706335722_417466537_n

Pra essa edição, eu queria muito uma banda que tivesse uma mina no vocal (pq sim) e escolhi o Fuzzcas. Eu sei, eu sei, é a banda do meu namorado (baterista), mas não é por isso não, viu? E sendo a banda boa, se fosse por isso também não teria problema né? hahha

Eles participaram da primeira edição do programa SuperStar, mas eu só conheci eles depois, quando comecei a sair com o Lucas. Então, meu contato com a banda foi primeiro indo a um show e depois ouvindo em casa. Preciso dizer que ao vivo eles são MUITO mais contagiantes. A Carol Lima tem uma voz linda, as músicas são super “chicletinho” e como eles já tocam juntos há muito tempo, existe uma harmonia ótima no palco.

A banda existe desde 2006 e tem um disco lançado: “Feliz Dia De Hoje” e o nome Fuzzcas vem de uma mistura do nome Fusca com Fuzz (um pedal de distorção). A formação, desde 2010, é Carol Lima no vocal, Leandro Souto Maior na guitarra, Fabiano Parracho no baixo e Lucas Leão (♥) na bateria. As influências vêm do rock clássico dos anos 60 e 70 e, ultimamente, a Carol tem ouvido B 52’s, Blondie, Humberto Gessinger, Herbert Vianna… Buscando novos elementos musicais.

“Bad Girl” foi a primeira música que eu ouvi deles e ela já ficou na minha cabeça por algumas horas depois. E destaco também a “Deveras” que é uma baladinha fofa e “Hey Hey Baby” mais dançante. Além das composições próprias, nos shows eles fazem versões incríveis de Michael Jackson, Belchior e Yoko Ono.

Quem quiser conferir o que eu tô falando, pode chegar em dos shows que vão rolar ainda esse mês:

23/08 – domingo – Teatro Odisseia, Bazar Noir, Lapa (Espero vcs lá! hihi)

29/08 – sábado – Sesc São Gonçalo

Então, é isso! Vamos ouvir o “Feliz Dia De Hoje” essa semana e comentar lá no evento do facebook. Todos os comentários são bem vindos!

Links da banda: SoundCloud // Youtube // Facebook // Instagram

PS: Na foto da minha assinatura aqui em baixo eu tô com a blusa deles! Hehehe

ATUALIZAÇÃO COM AS OPINIÕES:

gws-clube-da-música-4-fuzzcas

1. Banda tesão! Lembro de que quando eu tinha um carro, escutava o disco em todas as tardes ensolaradas das ruas de Porto Alegre. Gosto de Acorde Mais Cedo, Bad Girl… Mas essa é minha preferida! ROCK!

2. Vans de Lacinhos Cor de Rosa

Hoje, acordei mais cedo, como pede a música de abertura do disco “Feliz Dia de Hoje” da banda Fuzzcas, e ouvi o trabalho da banda. 

As primeiras impressões foram muito boas. A vocalista tem uma voz afinada e agradável e a banda é bem entrosada com arranjos também bastante agradáveis. O Fuzzcas tem um som bastante comercial com claras referências à jovem guarda e uma pegada indie rock, uma espécie de tênis Vans com os “Lacinhos Cor de Rosa” cantados por Celly Campello em 1959. Algumas músicas do álbum poderiam, facilmente, figurar num dos discos gravados pela, musa jovemguardista, Wanderléa, aparecendo junto com “Pare o Casamento” ou “Prova de Fogo”. Os arranjos possuem o padrão comum às bandas indies dos anos dois mil, enquanto as letras são básicas e não muito inspiradas como as das canções da jovem guarda. Isso faz com que Feliz Dia de Hoje seja bem palatável, com uma boa possibilidade de tocar nas rádios fazendo um relativo sucesso. Mas, talvez surja aí um problema (quase) matemático. A média entre o indie dos 2000s e a jovem guarda dos 1960s pode acabar caindo na armadilha da produção direcionada ao mercado que marca os 1980s, espero que isso não aconteça com o honesto Fuzzcas.

Vale a pena escutar o “Feliz Dia de Hoje” da banda Fuzzcas que, assim como o carro da Wolks, é correto, seguro e bastante simpático.

Nota: 7,5 (Onde 0 é o chatíssimo “Tudo é Permitido” do Kid Abelha e 10 fica com a Rita Lee pós-Mutantes e as Cilibrinas do Éden com o disco homônimo de 1973).

Cilibrinas do Éden: https://www.youtube.com/watch?v=-oJm7U8ZtGA

Celly Campello – Lacinhos cor de Rosa: https://www.youtube.com/watch?v=uH6vG9tBO1Q

3. Confesso que sou um pouco cautelosa com bandas relativamente novas, mas gostei! Acho q a mistura jovem guarda com a pegada indie funcionou! Com certeza merecem uma visibilidade maior! A Carol vocalista tem uma ótima presença de palco e os meninos tocam muito bem! A música Deveras é uma fofurice!

gws-clube-da-música-4-fuzzcas-2

4. Fofo define! Hehe tb sou suspeita pra falar. Vi os caras há quase dez anos no Odisséia, no que devia ser um dos primeiros shows deles. Curti mt, especialmente o clima da galera e da casa, mas fui acompanhando meio de longe a banda. De vez em quando eu achava eles aqui e ali na mídia. Bomba mesmo foi recente na Globo. Como gosto de rock mais pesado e metal levei tempo pra curtir mais esse estilo meio indie, suave. O que grita mt pra mim é que, apesar de bandas de fora fazerem um som parecido, Fuzzcas é mt Brasil. Eles têm essa coisa suave de bossa que muitas bandas de rock tem por aqui, tipo o Skank. É um doce, uma nota meio de alegria que eu curto mt. Deve ser pq a gente vive no trópico. Não tem tempo ruim no som deles! Isso sem falar na delícia que é a voz da Carol. Emoticon heart

Vou ouvir mais com certeza, pq eles tão mt bem misturados nas minhas playlists atuais. Não paro de ouvir Bad Girl e os chu-chu-rus são chicleteee! Amo! <3

5. Fuzzcas é demais! Conheci a banda em um show no Circo e logo virei fã. A galera tem uma sinergia foda no palco que é tão fundamental pra qualquer grupo produzir música. Acho que a que eu mais gosto é Acorde mais Cedo que é a “de trabalho”. Julguem-me! :) Tirando a zoeira recomendo muito!

6. Posso parecer meio suspeita para dar minha opinião, já que conheço a banda com um pouco mais de intimidade, mas Fuzzcas é muito gostoso de ouvir!

Tenho uma facilidade incrível de ficar enjoada da voz da cantora ou do cantor quando escuto um álbum do começo ao fim, mas isso não acontece com a voz da Carol. É sempre boa de ouvir e adoro o jeitinho que ela canta meio retrôzinho (opinião de leiga em música gente, mas é o que parece)

Mas verdade seja dita. Se você tiver a oportunidade de ver a banda ao vivo, VEJA! Sem querer desmerecer o disco, eles são muito, muito melhores ao vivo. Só no palco você percebe como eles todos são puta músicos. Atenção especial para o baterista Lucas Leão (a.k.a Lobinho) porque além de tocar pra caralho, pra caralho mesmo (nem precisa ser grande entendedora de música para perceber) ele tem todo um charme especial (entendedoras, entenderão) 

Melhores músicas (e que grudam na cabeça) Hey Hey Baby e Bad Girl e Deveras também é muito bonitinha!

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura-Marie_2

Tags:


4 + 5 =



Warning: file_get_contents(https://graph.facebook.com/?id=http://www.girlswithstyle.com.br/clube-da-musica-gws-4-fuzzcas/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 403 Forbidden in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/comments.php on line 60

0 Comentários