Como sobreviver a uma perda tão grande?

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por Helena Martinelli:

Dia desses, estava passeando pelo facebook quando, no meio das besteiras típicas do meu feed de notícias, dei de cara com a frase que nomeia esse artigo. Essa questão me deixou paralisada: ver alguém passar por isso foi uma espécie de lembrete de que a estrada da vida tem curvas e, que num momento ou outro, essa dor será minha, ou por mim.

Quando alguém importante nas nossas vidas morre, não importa se tem 10 ou 100 anos, é saudável ou cronicamente doente, a partida é sempre uma surpresa cruel. É como se nos deparássemos com uma enorme incongruência do universo e não conseguíssemos dar conta da falta de sentido naquilo. Por que aquela pessoa? Por que naquele momento? Por que daquele jeito?

Eu gostaria muito de escrever que existe uma maneira simples, rápida e indolor de superar o falecimento de um ente querido, mas essa seria uma grande mentira. O velho clichê é verdade: quando alguém que amamos morre, morre também uma parte de nós. Mas a boa notícia é que a vida se encarrega, sim, de tornar tudo mais fácil. Com o tempo, conseguimos nos alegrar com as lembranças dos bons momentos e transformar uma parte da dor quase insuportável numa saudade morna que nos conforta em momentos difíceis.

Pra autora da frase e pra todos nós que já perdemos um parente ou amigo querido, desejo muita força e meus mais sinceros sentimentos.

Tags:


1 + 3 =



Warning: file_get_contents(https://graph.facebook.com/?id=http://www.gwsmag.com/como-sobreviver-a-uma-perda-tao-grande/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 403 Forbidden in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/comments.php on line 60

3 Comentários

  • Carolina Vianna

    so o tempo.. e mesmo assim acho que nunca passa completamente.

  • Julia

    Beijo, meninas estilosas! Muita sensibilidade neste post.
    LUV!

  • Marie Victorino

    É verdade tudo isso. Uma sensação de impotência que pode te destruir. Mas é só o tempo mesmo e muito trabalho de aceitação tbm! Tudo passa e as coisas boas como lembranças acabam passando por cima…