ELLE BRASIL A PRIMEIRA REVISTA NACIONAL A ENTENDER A NECESSIDADE DE MUDAR O JEITO DE FALAR DE MODA

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

Por: Dhyogo Oliveira e Nuta Vasconcellos

Desde que terminei a faculdade de moda, comprar revistas do segmento se tornou algo atípico pra mim, até o mês passado. A crise do editorial uniu-se à crise do mercado e o jornalismo de moda brasileiro virou politicagem. Publicidade disfarçada e marca bacana sem poder anunciar (por falta de verba), sem falar na “cagação” de regra que é inserida a cada 20 páginas de anúncios. “Você tem que ter isso”, “Você tem que se vestir com aquilo”, “Seja magra como a modelo fulana de tal” se tornou tão anos 90, que parecia mesmo que as revistas tinham parado no tempo. Os blogs surgiram e os múltiplos olhares sobre a moda nos faz enxergar os dois lados do assunto antes de tomarmos aquilo como verdade. Passei a encarar, então, as revistas de moda como instrumentos de trabalho e não mais um veículo pelo qual eu buscava informação, inspiração e conhecimento.

voce-na-capa-1

(Magá Moura e Ju Romano)

Até que a Elle completou 27 anos no Brasil e decidiu, finalmente, mostrar que está atenta a esta mudança, não só de mercado mas, sobretudo, de comportamento. A mudança começou da capa. Um papel espelhado que refletia a imagem do leitor, sugeria que o mesmo devesse estar na própria capa, a chamada que virou hashtag #VocênaCapa.

E, se moda é feito de gente, feito de rua, feito de comportamento, nada mais justo. Quis ver de perto aquele burburinho que estavam fazendo nas redes sociais então comprei a publicação e me surpreendi: o recheio da revista estava coisa linda de se ver. Dentro da revista dava pra ver gente que consome moda: negros e brancos, gordos e magros, novos e velhos. Pela primeira vez no Brasil uma revista de moda decidiu libertar gente que, assim como eu, ama o assunto mas nunca se viu representado por nenhuma dessas publicações. A edição estava icônica e quem pensou que o motivo fosse o mês de aniversário, se enganou. A revista divulgou na última semana as três versões de capa para o mês de junho e mostrou que seu posicionamento continua firme ao escalar três mulheres “normais” para o shooting. O interior da revista conta com um manifesto em forma de editorial que, confesso, me deixou arrepiado. No anúncio de capa a mensagem “MODA SEM REGRAS” deixa claro que a Elle adotou um novo discurso e quem ganha com isso tudo, somos nós.

ellebrasil-junho2015-  NINA GRANDO do blog OVELHA

(Capa de Junho com Nina Grando)

É ótimo que, finalmente, uma publicação de grande nome como a Elle tenha analisado de verdade o que o consumidor de moda e o comportamento das pessoas em tempos de selfie querem dizer, uma coisa que muitos blogs, já tinham percebido. Queremos olhar para aquelas páginas e nos sentir representados. Queremos mostrar que a pirâmide que dá origem às tendências agora se inverteu. Moda não vem mais de passarela, de estilista ou de um seleto grupos de marcas de alta costura. Pode até vir, mas moda vem sobretudo, do street style, da personalidade de cada um, das relações humanas, do acesso às diferentes culturas, do comportamento e das diferenças entre as pessoas, de gente como eu e como você.

O GWS levanta a bandeira da autoestima, amor próprio e empoderamento feminino desde de 2009, quando eu me lembro bem, dar uma olhada nas revistas nas bancas e na maioria dos blogs, era desesperador. Hoje, 6 anos depois, esse assunto virou tema principal de quase todas as publicações online.O que é maravilhoso, mas poucos “nomes grandes” como a ELLE compraram essa briga de verdade. Esperamos apenas que não seja uma tendência e sim, uma mudança real dos padrões sociais e de beleza.

nuta-e-marie-na-capa

Não resistimos e também quisemos ser capa da Elle!

A ELLE está de parabéns por essa edição de maio histórica que prega do começo ao fim o amor próprio, mostrando que é possível sim fazer ótimas matérias, dar dicas de moda e beleza sem querer mudar alguém ou encaixar ela em um padrão. É isso que a gente quer nas bancas todo mês, esse deve ser o papel das revistas femininas! Que comece a revolução.

Esse post foi escrito pela Nuta Vasconcellos  e pelo Dhyogo Oliveira por compartilharem o mesmo sentimento. O post foi inspirado no post original Elle Brasil encontra nova maneira de falar de moda  postado no blog do Dhyogo, o “Sem geração” um blog incrível com conteúdo de qualidade e feito com amor. Visitem!

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura-Nuta_2

assinatura-Dhyogo

 

 

Tags:


7 + 1 =


0 Comentários