Estive pensando sobre liberdade….

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

Porque o ser humano insiste em viver inside the box? Escolhem não escolher? Seguem um padrão, o manual, aceitam.

Porque? Eu me pergunto isso todos os dias. E quanto mais dentro da caixa a gente vive, mas achamos que somos livres para ser, fazer e pensar o que quisermos.

Pobres mortais é o que somos. Vivemos em busca da perfeição. Mesmo sabendo que ela não existe. Mesmo sabendo que a única coisa que vamos encontrar no final do túnel é a frustração. Pior do que isso… que perfeição você busca? Você já parou para pensar de verdade o que você busca? Quem você é? Quanto tempo do seu dia você passa fazendo o que você quer fazer, seguindo o que você quer seguir? Lutando pelo que você quer lutar?

Provavelmente você acha que passa 24 horas atrás dos seus sonhos… pobres mortais é o que nós somos. Nos enganando, tentando ser bom o suficiente para os outros, apontando as “falhas” (falhas aqui dentro de uma GRANDE aspas) dos outros para não nos sentirmos tão frustrados nas nossas.

A vida virou um grande “tem que ser”. Tem que ser bem sucedido, tem que ser esperto, tem que ser inteligente, tem que ser belo. TEM QUE SER. Viramos enlatados por livre e espontânea vontade. Enlatados que se acham livres… Que acreditam estar fazendo escolhas.

Pobre de nós, meros mortais. Escravos de nós mesmos. Frustração passada de geração em geração, de RT em RT, de like em like. Em uma sociedade que a cada dia recebe mais informação e atrofia mais o cérebro.

Eu quero a liberdade. A liberdade real, aquela que vem da cabeça, aquela que faz você questionar tudo que é inquestionável. Buscar o que tem de mais real dentro de mim.

Lá dentro está o mais belo, o mais puro e o mais feliz.

Para ler: “1984”, George Orwell

Para ver: Star Wars episódio V: “O Império Contra Ataca”

Para ouvir: “Whatever”, Oasis

Tags:


6 + 4 =


0 Comentários