Eu faço tudo de bicicleta!

Por Marie Victorino / marie@gwsmag.com

No outro dia eu tava pensando que eu tenho falado muito essa frase: “eu faço tudo de bicicleta”. Aí, resolvi que escrever sobre isso seria legal, pois existem várias coisas a se considerar na hora de realmente usar a bicicleta não só como um instrumento pro passeio do fim de semana, mas também como transporte.

É claro que substituir o carro ou o busão (metrô, etc.) ainda não é totalmente possível. E talvez nunca seja, pois existem distâncias que não serão possíveis nem mesmo se a cidade inteira tiver ciclovias. É aquela história de chegar toda suada no trabalho… não dá!

Mas para distâncias menores, no mesmo bairro ou bairros vizinhos, isso tudo vira só uma desculpa. Já tem um tempo que eu tenho usado a bicicleta pra fazer as coisas por perto, pra ir naquele jantar na casa de amigos próximos (vamos dizer que, até uns 10km de distância, é sussa ir de bike, hein! E se ela for elétrica então, dá pra aumentar essa distância) e até quando trabalhava aqui perto de casa, preferia chegar em 5 min de bicicleta do que caminhar por 20 min. (preguiça detected).

Não vou dizer que minha vida mudou, que minha saúde melhorou, que eu estou ajudando o planeta… os meus motivos são outros. Em primeiro lugar vem a preguiça mesmo (se for uma distância que daria pra fazer a pé), outro é a economia (vamos combinar que a passagem de ônibus está pela hora da morte, rsrsrs) e o mais motivador de todos: é uma delícia sair por aí de bicicleta, conhecendo os cantinhos do seu bairro e da vizinhança. Poder ir para os lugares por caminhos agradáveis (como a Lagoa ou a praia aqui no Rio) e não ter muito grilo de horário e até assalto (às vezes eu ando pela orla de Ipanema/Leblon, meia noite, 1h da manhã…).

Mas nem tudo são flores, nem todos os caminhos têm ciclovias e muita gente ainda faz cara feia pras bicicletas na rua. Por isso, eu tenho duas regrinhas de etiqueta e de segurança:

1. Raramente ando pelas ruas junto com os carros. E quando faço isso, é sempre numa rua menos movimentada, nunca numa principal. Além disso, sempre na mesma mão dos carros e NUNCA na contra mão. Pode parecer que é mais seguro se você estiver olhando pro carro que está vindo, mas não é! Por vários motivos… o pedestre que está atravessando a rua não olha pro lado oposto, nem o carro saindo da garagem/vaga ou fazendo uma curva à direita. Além de que se houver um impacto entre você e um carro, as velocidades se somam, enquanto que se estiverem os dois na mesma mão, o impacto é bem menor.

2. Onde não tem ciclovia, a solução é ir pela calçada. E como você está invadindo o espaço que é do pedestre, respeite o pedestre! Não dá pra ir correndo pela calçada, tem que ir devagar mesmo… e sempre dar a prioridade pras pessoas, mesmo se elas forem umas lesmas! Hahahaha. Por exemplo, se a rua é estreita e não dá pra ultrapassar o pedestre, paciência. Eu nunca buzino, nunca peço passagem, eu espero uma brecha e aí passo. Mas também, quando estou na ciclovia e tem pedestre abusado, eu buzino, faço cara feia e às vezes até xingo (shame on me).

É claro que esse hábito não é uma particularidade minha e existe um movimento global pra que as bicicletas sejam sim, mais um meio de transporte. A gente só tem a ganhar com isso em vários sentidos. E hoje em dia, a gente acha cada bicicleta sonho de consumo por aí, né? Fiz uma vitrine com alguns modelos mais ~fofos~ (pena que as mais lindas sejam tão caras!):

1. Bike Isabela Capeto – Infelizmente foi uma edição limitada e já esgotou. Mas era tão linda que valeu entrar!

2. Caloi Konstanz In – R$1.499,00 – Net Shoes

3. Bicicleta dobrável Blitz Alloy – R$999,00 – Freecycle

4. Caloi Ceci – R$399,90 – Ricardo Eletro

5. Bike Lev Bouquê (elétrica) – R$3.199,00 – Farm

6. Bicicleta Nirve Starliner – R$1.980,00 – Freecycle

7. Bicicleta Nirve Beach Blossom – R$1.499,00 – Freecycle

PIMP MY RIDE!

Se você já tem uma bike e quer só dar um up no visual dela, a gente indica a fanpage Bicicletando Sempre. Lá tem vários acessórios legais, handmade pra deixar a sua bicicleta bem do jeitinho que você quer. ;)

Tags:


2 + 8 =


2 Comentários