Fashion Rio verão 2013: Carolina Althaller cool hunter do WGSN dá dicas para quem quer seguir a carreira.

Por Carol Guido / carol@gwsmag.com

Muitas vezes você quer trabalhar com moda mas não sabe muito bem que caminho seguir.O mercado está cheio de profissões interessantes e a gente tá aqui pra te ajudar a descobrir novos caminhos!

Ontem rolou no Fashion Rio uma palestra da cool hunter do WGSN Carolina Althaller que depois em uma entrevista exclusiva para o GWSmag contou um pouco mais sobre a tragetória dela e deu dicas precisosas para quem quer se aventurar na carreira.

GWSmag: O que faz uma cool hunter? Como é o dia a dia?

Carol Althaller: O cool hunter observa. Mas é uma observação completa. A gente tem que prestar atenção em tudo que acontece a nossa volta. Nas pessoas, nas atitudes, política, TV, música, arte. Um cool hunter pesquisa e “entra” em todos esses universos. Nossa pesquisa não se limita a moda. A moda é uma forma de “mostrar” o que está acontecendo no mundo, então para você entender o desejo das pessoas na hora de se vestir você tem que entender o que está acontecendo em todas as áreas. A moda é um reflexo. Um cool hunter observa e pesquisa. Tenta entender os desejos das pessoas, a origem deles e como eles se manifestam.

GWSmag: Você tem 24 anos e já é o radar do WGSN no Brasil. Como foi sua trajetória? Como se tornou uma cool hunter?

Carol Althaller: Na verdade eu não escolhi ser cool hunter. Aconteceu! Eu não sabia que era isso que eu queria. Sabia que queria trabalhar com moda. Assim que me formei no colégio fui para Londres e fiz alguns cursos na London College e quando voltei fui fazer moda no SENAI. Alí tive certeza que ser estilista não era meu objetivo. Então fui estudar comunicação. Um dia vi no twitter que o WGSN estava precisando de estagiária, mandei meu currículo e me chamaram! Comecei como estagiária, depois fui para atendimento, marketing e só depois cool hunting.

GWSmag: Quais as dicas você daria para uma garota que quer ser cool hunter? Por onde começar?

Carol Althaller: Treine seu olhar. Um cool hunter não pode ter preconceitos. Tem que absorver tudo que vê. Leia e pesquise muito. Eu tenho um caderno aonde anoto frases e faço colagens. Isso ajuda a treinar o olhar, e tentar entender a linguagem das coisas, como elas se casam, as conexões. Estudar história é fundamental. É preciso entender o passado para entender aonde estamos hoje. Essa é a base. Depois é preciso fazer contatos e procurar oportunidades. Ninguém vai bater na sua porta.

GWSmag: Tem alguma aposta, seja alguma peça de roupa ou acessório, que ainda não pegou mas ainda vai bombar muito?

Carol Althaller: Acho que essa coisa barroca com muito dourado como a Versace dos anos 90. Estamos vendo em algumas coleções e vitrines mas ainda não caiu nas ruas.

Curtiu as dicas da Carol? Quer mais?

Em um Fashion Rio passado a gente pegou umas dicas com a cool hunter Renata Abranchs do site Rio etc. Se liguem nas dicas aqui.

Tags:


2 + 4 =


0 Comentários