Kanye West: O homem que ama e odeia as mulheres

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

Para quem não sabe, ontem foi mais um dia que Kanye West arrumou treta com outro artista. Desta vez, foi com o também rapper Wiz Khalifa. O foco da discussão no twitter deveria ser sobre música e títulos de álbuns, mas acabou me fazendo refletir sobre a relação estranha de West com as mulheres.

gws-kanye-west-slut-shaming

Devo admitir que nunca fui muito com a cara dele. Tudo que eu ouvia falar sobre Kanye West superficialmente na mídia, não me despertava nenhum interesse em conhecer mais sobre ele, sua música e suas roupas. Bom, se você ainda não sabe, fica sabendo agora: Sofro de paixonite pela Kim Kardashian e por toda a família (se você está me julgando nesse momento, fica comigo! Porque com certeza, esse post é um pouco para você também). E depois que Kim começou a se relacionar com ele, pensei que eu tinha que conhecer esse cara melhor. Nesse mergulho eu vi que West é um cara de muitos talentos. Faz música de qualidade, é visionário quando o assunto é moda e é um cara apaixonado por tudo que faz, ama e é dedicado a sua família e amigos. Aprendi a gostar do Yeezus. Mas não dá para negar: Toda bola fora do cara, envolve sua relação estranha de amor e ódio com as mulheres.

Mas seria o senhor West tão diferente da grande maioria dos homens? Infelizmente, não. Para quem não tá ligada, vou fazer um breve resumo: Em um passado não tão distante, antes de #kimye existir, Kanye West namorava Amber Rose, ex- stripper, que se tornou uma figura pública, dessas que a gente não sabe o que faz, mas acaba assinando coleção de roupa, perfume, tem fãs e vira referência na mídia (muita gente ainda não sabe lidar com esse tipo de gente famosa, APRENDAM, cada dia mais pessoas serão famosas por sua personalidade e menos por uma profissão especifica. Se atualizem), que depois se tornou esposa (hoje já ex) de Wiz Khalifa. Desde que Kanye começou a se relacionar com Kim, ele não perde uma oportunidade de insultar e praticar slut-shaming com Amber e ontem ele, mais uma vez, deu um show de machismo. Ao invés de manter o foco na música, como fez Khalifa, Kanye twittou sequências de frases na tentativa de fazer com que Wiz Khalifa se sentisse mal por ter sido casado e ter um filho com Amber Rose: “Você caiu na cilada de uma stripper”, “Por 18 anos ela vai te ter nas mãos” (sobre pensão alimentícia) e até: “Você não teria um filho se não fosse por mim”. Pera aí Kanye! Essa é a mulher que você escreveu um álbum todo sobre quando vocês terminaram. Já esqueceu?

Um clássico do machismo: O homem “insultar” sua ex namorada de puta, piranha… No maior estilo “nem gostava de você mesmo”, fazendo o kiko. Parece que Kanye não sabe valorizar Kim, sem desvalorizar Amber. Aquele velho joguinho de manipulação masculina: “Você é diferente das outras”. Não tem ninguém diferente aqui senhor West. Não existe diferença entre Malala e Kyle Jenner, não existe diferença entre Pitty e Anitta, eu e Gabriela Pugliesi e existe menos diferença AINDA entre Kim e Amber. Somos todas mulheres, construindo nossa história, vivendo nossas verdades e o mais importante: Sendo independentes e donas do nosso nariz.

Desvalorizar outra mulher, seja ela quem for, pelo seu intelecto, sua profissão ou personalidade é a forma mais desonesta e cruel que o machismo age. A gente já sabe que tem muito homem aí, inclusive Kanye, usando isso como forma de manipulação, mas é importante não esquecer como tem mulher caindo nesse papo e reproduzindo esse discurso. Homens (e mulheres!) tem que parar de nos separar em caixinhas. Só porque uma mulher gosta de comprar sapatos, não significa que não gosta de ler, só porque uma mulher gosta de assistir BBB, não significa que ela não é instruída, só porque eu sou fã de Kardashian, não significa que não sei conversar sobre política.

Kanye West é aquele cara que distingue mulher para casar e mulher para transar. Ele é aquele cara que sobe no palco e tenta calar o discurso de uma mulher usando a mesma estratégia: Algumas merecem valor, outras não. Eu sempre me perguntei… Se Taylor Swift fosse homem, será que Kanye teria invadido o palco e roubado o microfone? Eu realmente acredito que não.

O mais irônico é analisar o quanto Amber e Kim são parecidas. As duas ficaram famosas por conta de seus corpos e sensualidade, as duas tem um passado “que a sociedade condena”, Kim teve uma sex tape que vazou e Amber era stripper, as duas também são crucificadas por serem “famosas sem fazer nada” e as duas agora são mães. Então por que senhor West insiste em colocar uma no pedestal e a outra na lama? Mais um caso clássico dos homens. Aqueles que amam desesperadamente suas mães, mas xingam mulher de piranha na rua. O clássico respeito seletivo. Kanye é apaixonado por Kim, louco pela sua filha North, vive com uma família matriarcal que é o caso das Kardashians, mas não consegue estender esse respeito e amor para outras mulheres fora do seu ciclo. Pensando sobre isso, me lembrei muito desse vídeo, chamado Dear Daddy.

gws-kanye-west-slutshamingInfelizmente Kanye não é o único e nem será o último homem a separar mulheres por categorias, estereotipar garotas e praticar slut-shaming. A respeitar as mulheres da vida DELE, ou dos amigos DELE.  Aquele clássico que a gente escuta há anos quando uma mulher tenta ganhar respeito de um cara: “Imagina se fosse sua mãe”, “Poderia ser sua filha”. Não, nenhum cara precisa pensar que poderia ser algo DELE para te dar respeito. Mulheres não são propriedades, não são extensões dos homens presentes na vida dela. Somos indivíduos e vamos escrever, falar e gritar sobre isso até todos vocês entenderem. Respeito não é algo seletivo. Todas nós somos dignas de respeito. Independente de profissão, cor da pele, escolaridade e tamanho do decote.

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura-Nuta_2

 

Tags:


9 + 3 =


0 Comentários