Lista negra: Dicas de produtos de beleza para garotas de pele escura

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por: Luiza Brasil

Abri o meu feed de notícias do facebook e deparei-me com a seguinte novidade: “Marca lança lingerie cor de pele para mulheres negras”. Fui checar a informação e trata-se da americana Nubian Skin, que no about do seu blog, que vale muito a pena ler porque é carregado de empoderamento para garotas negras, fala do começo de uma revolução na indústria e cita Eunice W. Johnson, que no início dos anos 50 criou a Ebony Fashion Fair, que foi o ponto de partida para trazer as primeiras soluções em maquiagem para a pele negra. Pois é minha gente, o nude, que dá pinta no mundo da moda e da maquiagem tem uns 5 anos, ainda não tem suas versões para a pele escura em um país como o Brasil.

Esse fato, fez-me lembrar de um episódio que era para ser bastante trivial, mas tornou-se para mim um desafio, quase uma questão de honra: encontrar um sapato nude de festa que fosse de fato do tom da minha pele. A missão foi difícil, hein?! Se não eram tonalidades de pele mais rosadas ou amareladas, partiam para o bege, que ficava claro de mais, ou caia no marrom-café, que também não atingia o meu objetivo. Encontrei a solução da minha causa na Schutz, que diante de outras marcas nacionais, tem uma cartela de nudes bem mais extensa e que contempla peles mais escuras.

Mas infelizmente não é só a carência de “nudes” que mulheres negras enfrentam no seu dia-a-dia. Nos faltam produtos de beleza nacional que não nos deixe com a cara acinzentada ou alaranjada, linhas de produtos capilares que não prometam reduzir o nosso venerado volume e cremes que de fato atuem bem em nossas peles, que tendem a ser um pouco mais ressecadas. Pensando nisso, compartilho com vocês algumas das descobertas e itens da necessaire que podem dar uma luz para quem deseja experimentar algo novo. Caso queira investir, tem opções bacanas e que valem bastante a pena a aposta. Se a grana estiver curta, não tem problema, existem alternativas com ótimo custo-benefício nas prateleiras, sim!

cabelos

Cabelos

Chic:

• Uma linha que sou apaixonada é a Kérastase Óleo Relax. Deixa o cabelo com uma textura muito boa, principalmente para os altamente crespos e tem um cheiro ok, o que é um grande problema entre alguns produtos que pesquisei no mercado.

• Outro kit de tratamento que gosto bastante e se estiver na gringa vale a pena experimentar é de Oléo de Oliva orgânica da Root Stimulator. Não é lá o mais perfumado dos produtos, mas apesar da embalagem com a modelo de cabelo alisado, considero um dos melhores na hora de hidratar fios muito crespos. Ele deixa os cabelos macios e recuperam o brilho nos mais ressecados. Amazing!

• Com tranças ou sem, outra linha que super recomendo para cabelos altamente crespos (eu disse ALTAMENTE CRESPOS) é a da Moroccanoil. Quando estou trançada, uso somente o shampoo. Quando estou com as madeixas soltas, uso o kit de tratamento. Atenção! Se você for semi-crespa e ama um volume, eu não recomendaria. Ele dá “peso” ao cabelo e pode deixá-lo mais lambido.

Cheap:

• Entre as marcas nacionais, a Novex vai muito bem, obrigada. Sou fã dos produtos à base de azeite de Oliva, que deixam os cabelos ultrahidratados. A linha de Argan também é muito boa.

• Um leave-in que curto bastante é o Só Brilho da Houtrée. É, o nome não é o mais bacana, a embalagem não é a mais formidável, mas nada disso importa quando você vê a qualidade do produto. Para mim, foi um dos mais maravilhosos que eu experimentei. Foi um dos que melhor se adaptou ao meu cabelo.

• Bioextratus Tutano: apesar de não amar o cheiro dessa linha, da última vez que tirei as tranças e voltei a usar o meu cabelo natural, recorri para ele. Ele deu uma força absurda ao picumã e ajudou a reestruturá-lo.

• Máscara de azeite de oliva: quer uma dica baratinha, baratinha? Faça quinzenalmente uma máscara com o creme de hidratação da sua escolha + 1 colher de sopa de azeite de oliva + 1 colher de chá de açúcar + 1 colher de chá de bepantol + 1 ampola de sua escolha (sim, essas de farmácia. Entre as minhas preferidas estão tutano e argan). Deixe nada mais do que 30 minutinhos, lave a cabeça e voilá!! Cabeleira linda, saudável e brilhosa!!

make

Maquiagem

Chic

• Confesso que no quesito primer, não troco a textura do meu Prep + Prime da MAC. Ele ajuda a dar aquela iluminadinha.

• No quesito base + corretivo, estou no meu momento MAC também. Curto a textura e a cor que não me deixa alaranjada e nem acinzentada. Sei que cada tom de pele é um, mas funciona muito bem para mim o NC45. Mas outra marca que tem uma variada muito boa de nuances para a pele negra é a Bobbi Brown.

• Entre os blushes, sou adepta de dois da MAC. O Babyface, mais rosadinho, uso no dia-a-dia. Já o Format, uso em maquiagens mais carregadas, que dou aquele toquinho com o iluminador, que no meu caso é o “Watt’s Up”da Benefit.

• Aprendi há muito tempo atrás, com o meu amigo e queridíssimo make up artist Rômulo Flores, que não se deve colocar corretivo na pálpebra superior dos olhos. Eu o substitui pela sombra cremosa da MAC – Indianwood.

Cheap

• Sou apaixonada pelos produtos da Vult! Entre as marcas nacionais, para mim é uma das que mais acertam nas tonalidades para a pele das brasileiras no quesito corretivo e base.

• Outra linha que gosto bastante (e os preços ainda são “friendly” no Brasil) são alguns dos itens da Maybelline. É muito boa a textura e tonalidade do Dream Mousse Blush – 60 Coffee Cake – e a base Dream Matte Mousse na tonalidade Caramelo. A marca também tem opções como o Cocoa para peles mais escuras.

• Ainda da Maybelline, sou apaixonada pelas sombras cremosas “Color Tattoo”. Para o dia a dia gosto do 25 Bad to the Bronze. Para a noite, vou de 45 Bold Gold para os dias “dourados” ou 15 Audacious Asphalt.

batom

Batom nude

Chic:

• Para nudes, gosto bastante das opções da MAC, o Honeylove e Cherish, que funcionam muito bem para a pele negra, pois não ficam com um aspecto amarelado, meio cadavérico. São tons de pele para nós mesmo!

Cheap:

• Descobri uma versão de nude da Avon, que muito me apetece: o Ultra Color 154 – Nude Matte.

hidratante

Hidratantes corporais

Chic:

• Não tem nada igual do que o poder de hidratação do Cetaphil. Tenho a versão para corpo e rosto, que ainda tem filtro solar 50, e faz magia em peles ultrassecas. A durabilidade também é bastante justa. Vale o investimento!

• Para as que têm a pele mais sensível, vale como alternativa o Fisiogel. O creme hipoalergênico tem uma boa textura, uma hidratação que dispensa comentários e é sem cheiro.

Cheap:

• Outro que uso bastante é o Johnson Softlotion de Manteiga de Karité e Cacau. Além de uma boa hidratação para o custo-benefício, tem um cheirinho que gosto bastante.

lingerie

UNDEWEAR: Se ainda não encontrou um nude para chamar de seu

– Invista no avelã! A cor favorece em tons de pele mais escuras, pois não marca em roupas claras, além de dar um toque mais sofisticado do que os beges (principalmente se for mostrá-la para alguém! rs). A Hope trabalha com a nuance em vários modelos.

– Quem ainda tem receio e prefere a paleta tradicional, a Scala tem o chocolate, que pode cair acertadamente na sua pele!

Pois, é diante dessa lista enorme de coisas que troquei com vocês, seria audacioso da parte do setor de marketing de qualquer empresa dizer que não existe mercado no Brasil para a beleza negra. Temos de mostrar que somos fortes consumidoras, que temos potencial de compras e que investimos e muito, principalmente, no que diz respeito à beleza.

Ok, mas como fazer isso? Simples. Não tenha receio e nem preguiça de entrar em contato com o SAC das marcas que você gosta! Para as mais práticas e que curtem colocar a boca no trombone, as redes sociais também são uma ótima forma de expor seu descontentamento e enviar sua crítica construtiva (disse crítica construtiva. Não vale errar na dose e sair xingando as marcas). Nas publicidades não existe ninguém com o seu perfil? Explicite sua necessidade de identificação! A publicidade tem alguém que você possa seguir como referência? Ajude a pulverizar a boa ideia, que com certeza as marcas vão começar a aderir! Entre os exemplos mais atuais estão as cariocas Karamello e a Blue Man. Vale também frisar a inspiração do Verão 15 do consagrado Alexandre Herchcovitch, que veio da Baptist Nazareth Church, religião de origem sul-africana, que levou para as passarelas fortes influências afro, além de um casting magnífico, composto por modelos negros.

Assim como diz o site da Nubian Skin, suas pequenas atitudes podem ser um passo enorme para uma revolução, que sempre começam de algum lugar! Faça a sua “pequena grande” parte!

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr//Newsletter do GWS

assinatura Luiza_1 copy

Tags:


9 + 9 =


0 Comentários