Minha experiência com o coletor menstrual e outras alternativas ecológicas

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por Bruna Martins:

menstrual-cup-menorrhagia_02

Hoje, é muito difícil não saber o que é coletor menstrual. O objeto nunca foi muito conhecido, mas no início do ano recebeu imensa atenção na mídia e muitas mulheres adotaram. A proposta é maravilhosa: Comprar um único objeto, uma vez, para usar em todos os ciclos por até dez anos. Sem visitas desesperadas à farmácia. Sem dano ao meio ambiente. Sem vazamento e sem desconforto. Antes de comprar, pesquisei todos os sites, grupos de Facebook e posts de blogs que consegui achar. Alguns depoimentos citavam problemas nos primeiros dias, que sempre eram resolvidos depois. A maioria falava muito bem, citando diversos prós e quase nenhum contra. Uma amiga próxima falou que usa há algum tempo e a mudança valeu muito a pena.

Empolgada, pedi o meu. Cerca de 80 reais e uma semana depois, chegou bem a tempo de experimentar. Foi aí que percebi que não ia ser tão fácil assim. O maior problema, no início, é ao colocar. É necessário um pequeno malabarismo para fazer a dobra e segurá-la enquanto coloca. Se a dobra soltar antes ou o encaixe não der certo, tem que tirar e colocar de novo.

Nas primeiras vezes, você fica facilmente tentando fazer dar certo por uns 20 minutos. E mesmo quando acha que deu certo, não dá para ter certeza. A amiga falou que nos primeiros meses usou o coletor com um absorvente normal, por segurança. Eu estava disposta a fazer funcionar, afinal, paguei um preço um pouco salgado, mas achei um absurdo ter que usar duas formas de proteção porque a primeira não era segura o suficiente. Mesmo assim, vazou. Uma, duas, três vezes. No segundo mês, a mesma coisa. Muito desconforto para colocar direito, muita insegurança para trocar fora de casa (sempre dava alguma coisa errada) e a proteção extra sempre necessária. No terceiro, quando percebi que estava chegando a hora de usar, bateu aquela preguiça. Muito maior do que a preguiça normal, diante da preocupação a mais que vinha pela frente. Muito maior do que a preguiça que eu tinha antes de comprar o coletor, percebi. Usei, mas muito pouco. Se tinha que sair por muito tempo ou andar bastante, preferia nem tentar. Ir para festa então, nem pensar.

No quarto, percebi que não tinha dado certo. Com certeza, se tivessem me apresentado antes de me acostumar com a situação toda, teria muito mais disposição. Também não descarto a possibilidade de tentar de novo algum dia. O conceito é ótimo, a ideia faz sentido e entendo quem defende até a morte – mas para mim, não deu certo, e isso é ok. Quero deixar minha experiência por aí, para também fazer parte da leitura de quem está pesquisando. Talvez, se eu tivesse lido uma experiência dessas, esperaria um momento mais calmo da vida para tentar. Talvez teria me sentido menos mal, sabendo que não fui a única a não conseguir me adaptar. É bom deixar isso claro: é um processo de adaptação. Algumas conseguem, outras não. Mas você nunca vai saber se não tentar.

Como eu não me adaptei, saí em busca de outras possibilidades e alternativas ao absorvente tradicional. Seja por necessidade de economizar uma grana, vontade de levar uma vida mais orgânica e natural ou até mesmo por alergias, se você está em busca de outras alternativas, olha aí as opções que temos no mercado:

– Absorvente ecológico 

Os absorventes ecológicos, esteticamente, são bem parecidos com os tradicionais. São feitos de algodão 100% orgânico, sem aditivos químicos. O que é ótimo para a  saúde da mulher e do meio ambiente. Tem várias opções, inclusive absorvente interno e com abas.

– Almofada Menstrual

O nome é estranho, mas as almofadas menstruais são uma ótima solução para economizar, para quem tem alergias e claro, para quem quer uma solução “mais verde”. São absorventes de tecido, produzidos no Brasil, reutilizáveis, biodegradáveis e combinam a idéia dos absorventes modernos com abas e os paninhos caseiros como usavam sabiamente, nossas avós. Sem substancias químicas, o que ajuda a evitar alergias, infecções e irritações. Na gringa é muito mais fácil de achar e é feito até em tecido de bambu, bem legal mesmo. Coloca no google Cloth Pads para você ver as opções. Por aqui, encontrei poucas lojas e uma delas é essa aqui.

– Esponja menstruais

Algumas esponjas podem ser utilizadas como absorvente durante o período menstrual e servir como uma alternativa natural para substituir o absorvente interno, também conhecido como tampão. O material esponjoso é uma vantagem no aspecto da comodidade, porque se adapta facilmente à forma do corpo da mulher. E existem alguns produtos que foram desenvolvidos especificamente para conter vazamentos. Aqui no Brasil, já encontramos para vender a versão sintética dessas esponjas, chamadas de Soft Tampom. O produto é desenvolvido a partir de materiais maleáveis, são livres de produtos químicos e prometem vazamento 0. Se você procura algo mais natural ainda, existem as esponjas naturais e orgânicas.

Vocês conhecem outras alternativas para nosso ciclo menstrual? E como foi sua experiência com o coletor? Compartilha com a gente!

– ♥ –

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do que rola no nosso dia a dia, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura-bruna-martins

Tags:


2 + 6 =


0 Comentários