Mods x Rockers

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

Já começo esse post dizendo: É um post de recalque. Se você conhece o mínimo sobre mim, sabe que sou apaixonada pelos anos 60 e principalmente pela subcultura MOD. Então, vocês imaginam o tamanho do meu ciúme quando vi um post maravilhoso sobre o assunto em um site amigo que não foi escrito por mim? Bom, aquela foi a gota d’água e eu tinha que me manifestar sobre isso. O site culpado foi o Modices, e o post é esse aqui. O post  já disse bastante sobre o MOD na moda, mas o foco aqui é outro. É pra fazer você entender de uma vez por todas o que foi, o que é e pra onde vai o movimento Modernist.

O MOD não reinava absoluto entre os jovens dos anos 60. Outro movimento tinha força e influência, o Rockabilly. Seus seguidores eram chamados de rockers e tinham estilo de vida bem diferente dos MODS e os grupos eram super rivais. Mas… como tudo isso começou?

No final dos anos 50 surgiu na Inglaterra um grupo de jovens chamado Teddy Boys que influenciados pelo Rock n’ Roll americano tinham cabelos com topetes e um pentado chamado duck’s arse. Roupas inspiradas na era Eduardiana, sapatos de sola alta, gravatas finas e cowboy tie. Foram um dos primeiros grupos a se tatuarem também. A fama desses garotos não era nada boa. A mídia sempre publicava sobre a violência e os tumultos que causavam. Devido essa massificação e má fama, o movimento acabou perdendo sua força e características entrando em decadência. Então esse grupo se dividiu em dois, os Ton Up Boys e os Coffee Bar Cats.

Os Ton Up Boys carregavam muitas características dos Teddy Boys. Gostavam do rock n’ Roll americano, motocicletas, roupas de couro, botas e eram machistas. As garotas usavam rabo de cavalo, saias rodadas midi, calças jeans dobradas e lenços no cabelo. Já o Coffee Bar Cats estavam mais ligados ao rock n’roll britânico e ao modern jazz. O visual sofria grande influência da Itália, paletós justos, parkas e scooters. As garotas cortavam os cabelos bem curtos ou longos com franja, botas cano alto, mini saia e shift dress. Eles também tinham a mente mais liberal e acreditavam que homens e mulheres podiam viver o mesmo estilo de vida.

No começo dos anos 60 esses grupos já estavam claramente separados. E já eram conhecidos como MODS (devirados dos Coffee Bar Cats) e Rockers (derivados dos Ton Up Boys)

Os mods não gostavam dos rockers porque achavam que eram truculentos, machistas e antigos. Os rockers não gostavam dos mods porque eles eram garotos de art school e com roupas afeminadas. À princípio as brigas dos grupos eram por questões como roupas e estilo de vida. Mas com o tempo se tornou uma questão cultural e gerou brigas campais, violentas e sangrentas como a que ficou conhecida como a “Batalha de Brighton” em 1964, que foi reproduzida no filme mod, “Quadrophenia”.

http://youtu.be/NIggM6sG9sw

Musicalmente, eu me arrisco a dizer que tudo seria diferente se não fosse pelos mods e pelos rockers. Elvis Presley, Eddie Cochran and Gene Vincent, ídolos dos rockers, influenciaram e moldaram o rock americano como ele é conhecido hoje em dia. Assim como The Who, The Small Faces, The Kinks bandas do movimento mod influenciaram o rock britânico como conhecemos.

Você deve estar se perguntando… anos 60? E os Beatles nessa história toda? Espertamente, eles corriam por fora e nunca foram colocados em nenhuma categoria. Digo espertamente porque talvez, se naquela época eles tivessem vestido a camisa de algum movimento, não teriam se tornado o que são. Quem lembra da cena clássica do filme “A Hard Days Night” em que uma repórter pergunta para Ringo: “Are you a mod or a rocker?” e ele diz: “I’m a mocker”. Foi com essa postura que os Beatles passaram pelos anos 60. E se você acha que os mods usavam ternos por causa dos Beatles ou vice versa, você errou. A ideia dos Beatles usarem ternos foi do empresário, Brian Epstein que tinha acabado de voltar da França e “pescado” a tendência. Antes disso aliás, os Beatles tinham um visual beeem rocker… O que os torna definitivamente, mockers. hahahha

Voltando aos movimentos e suas influências, no começo dos anos 70 o Mod e o Rockabilly perderam força, e foram subistiuídos pelo movimento Hippie e Skinhead. Em 1978 surgiu o “Mod revival” uma tentativa de reviver a música e subcultura MOD. Nesse tempo surgiu a banda The Jam, do Paul Weller conhecido até hoje como pai do mod revival. O movimento foi forte, mas passageiro, e mais uma vez, foi deixado de lado desta vez pelo Punk Rock e New Wave.

Tudo mudou novamente nos anos 90, pra ser mais exata, em 1989 quando surgiu a banda inglesa Stone Roses, declarados fãs do movimento mod e carregados da influência tanto em suas músicas, como na estética da banda. Assim surge o movimento Britpop, filho do mod com bandas como Oasis, Blur, Suede, The Verve, Supergrass, Travis e Coldplay. O movimento teve seu auge em 1995 e durou até 2000. O britpop teve uma força e influência nos jovens ingleses tão grande quanto o mod nos anos 60. Mas, mais uma vez foi deixado de lado e dessa vez pelo indie rock.

Plageando Liam Gallagher no palco do Circo Voador semana passada: “No indies tonight“. A história acaba por aqui. No indies neste post.

Tags:


5 + 3 =



Warning: file_get_contents(https://graph.facebook.com/?id=http://www.gwsmag.com/mods-x-rockers/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 403 Forbidden in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/comments.php on line 60

2 Comentários

  • marcio silva de almeida

    A verdade é que o Movimento Mod foi responsavel pela oficialização da subcultura na decada de 1960 pros dias atuais. A decada de 1950 ainda estava infectada pelo “American Way of Life”, a “Era do Swing” (Jazz – Tommy Dorsey,Frank Sinatra, Jack Leonard…). – Marcio Osbourne/Jlle-SC

  • marcio silva de almeida

    A verdade é que o Movimento Mod foi responsavel pela oficialização da subcultura na decada de 1960 pros dias atuais. A decada de 1950 ainda estava infectada pelo “American Way of Life”, a “Era do Swing” (Jazz – Tommy Dorsey,Frank Sinatra, Jack Leonard…). – Marcio Osbourne/Jlle-SC