O estilo e a música da dupla Oshun

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por Elva Vieira:

gws-oshun-band

A frase estampada em um dos moletons preferidos de Niambi Sala e Thandiwe, “Eu conheci Deus e ela é negra” não poderia ilustrar melhor a inspiração na deusa africana dos rios, da beleza, do amor, da fertilidade e da riqueza, a orixá Oxum. E vem dela também o nome da dupla, Oshun, composta pelas meninas de apenas 19 anos, que soltam a voz em um ritmo envolvente de neo-soul e hip hop com influência yorubá. Estilo puro no swing que se traduz no visual com roupas swag.

A influência está em nomes como Erykah Badu, Lauryn Hill e Nas, além de Miles Davis, Herbie Hancock e John Coltrane. Nas letras, amor próprio e espiritualidade, mas também de consciência política e questões sociais de forma incisiva, que se refletem no figurino. E não poderia ser diferente, com os recentes assassinatos de jovens negros por policiais brancos de Detroit e Baltmore e as manifestações que se seguiram.

Piercings, brincos de argola, chapéu, muito preto, assim como renda, vestido solto, pintura étnica, turbante, muito branco, amarelo (cor de Oxum) e azul. Entre os opostos o street wear coloca cores sérias como as camisas de veludo em azul marinho e vinho e estampa quadriculadas sobre delicadas blusas bordadas, que dão um traço de meninice.

Nos shows a influência africana é mais forte, com muitas pulseiras, adornos de cabelos, grandes colares e pashminas em contraponto a calças compridas e blazers com pegada da rua. Aí vale uma boa dose de dourado, uma das cores atribuídas à orixá. Os cabelos ao natural são um exemplo do bem colocado orgulho da raça.

E elas dão conta do recado: atingir a transcendência e se libertar da escravidão mental através da consciência de quem somos. O que importa é ir à luta ao som do próprio tambor, com maturidade e firmeza. “It’s a revolution! I declare war on you”, dizem na faixa “#” do primeiro EP da dupla, “Asase Yaa”, que significa “Mãe Terra”. E seja para mostrar que o que importa é o recado ou como uma boa jogada de marketing, o disco pode ser baixado gratuitamente no soundcloud da dupla.

O projeto Oshun nasceu de forma rápida e intuitiva após as jovens se conhecerem no grupo de orientação para bolsas Martin Luther King da New York University e passarem uma noite inteira de muita de dança e música no dormitório do campus. E funcionou. Em abril elas se apresentaram ao lado de grandes nomes como Joey Bada$$ e Erykah Badu no Broccoli City Festival, em Washington, um pouquinho antes de lançarem o primeiro disco.

A ideia de incitar ao pensamento crítico sobre as diferenças sociais chega a ser impertinente em algumas ocasiões, como na bandeira americana queimada como símbolo de resistência que aparece no clipe de “#”, a faixa mais popular do EP. Símbolos e mensagens, aliás, estão por toda parte nas roupas e atitudes de Thandiwe e Niambi. Garotas com muito a dizer, muito estilo e atitude.

Para saber mais:

Site oficial // Twitter // Facebook

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura-elva

Tags:


8 + 8 =


0 Comentários