O não elogio

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por Iana Vilela:

eu-luto-com-elas

Hoje, a gente já fala abertamente que as mulheres cresceram em um meio de competição. A validade da nossa beleza, do nosso estilo, sempre teve como termômetro o estilo da amiguinha do lado – e vamos dar um (Y) para o fato de isso estar começando a caminhar para o fim \o/

Mas, antes que a gente comemore demais, é preciso lembrar que isso criou uma cultura entre mulheres que deixou marcas até hoje, a dificuldade em elogiar as amigas. Quando uma mulher deslumbrante entra em cena, ainda dá para ver a ala feminina torcendo o nariz. Se uma mulher se acha – e se declara – bonita, então. Ave a galere julgar.

O que a gente não percebe é que esse mal ver de mulheres que se consideram bonitas, e até a nossa dificuldade mesmo em se mostrar como uma dessa forma, é plantado na nossa cabeça diariamente. Quantas vezes a gente não admirou uma mulher linda que não tinha noção da própria beleza. E quantas vezes a gente não falou que “quem se acha bonita perde metade da beleza”, como se fosse uma coisa linda de se dizer? Quem dera uma borracha para eu apagar todas as asneiras que já disse nessa vida.

giphy-81

Nessa vibe de não-elogio, veio também aquele “elogio” com dez aspas. Quando uma amiga pergunta se algo é bonito e a resposta é “achei a sua cara”. Galere, todo mundo já sacou que isso é o “não achei bonito” disfarçado de gentileza. Eu, no auge do meu machismo (acho que todas nós temos esse passado vergonhoso, bem difícil de escapar na nossa sociedade), era a defensora número 1 dessa resposta. Mas a verdade verdadeira é que a gente sabe o que isso quer dizer, a nossa amiga sabe o que isso quer dizer e isso parece muito, ao menos para mim, uma forma de desempoderamento. Se você está mostrando, está achando bonito. Se eu não achei, vou fazer questão de mostrar que não, sem ser grosseira. Mas é grosseiro sim. E feio.

Para entender de um ângulo diferente, é só a gente lembrar da letra da música “What Makes You Beautiful” do One Direction, sinalizada pela maravilhosa Clara, do Lugar de Mulher aqui :

“You don’t know you’re beautiful

But that’s what makes you beautiful”

Então, assim: a gente tem que ser linda, porque esse é o nosso valor. Mas pera ae, se você se achar linda… uuuuuhh, fora! Que desempoderamento do cacete, hein!

Deu para ver a ponta do iceberg de onde vem o nosso desconforto sempre que uma mulher se acha bonita? E de onde vem a nossa resistência em elogiar as nossas amigas?

Nesse comportamento, migs, é só a gente que sai perdendo. A gente faz uma irmã se sentir mal, chateia quem está a nossa volta e, acredite, não se sente nem uma agulha melhor por isso.

Quer plantar o feminismo – e de quebra se sentir bem de verdade? Não perde a oportunidade de empoderar uma amiga, não! Elogia, faz ela se sentir bem! A gente já tem o mundo inteiro tentando fazer a gente se sentir menos. Menos inteligente, menos bonita, menos tudo. E se o que ela te mostrar não for do seu agrado, é só perceber se ela está feliz usando. Se estiver, tá linda porque gosto a gente também já aprendeu que é relativo, mas deixar outras mulheres felizes não.

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura-Iana-vilela

 

Tags:


6 + 4 =


0 Comentários