O tal do Smiley

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

 

A carinha sorridente amarela, símbolo da geração 90’s tem uma história que começa lá nos anos 60!

Criação:

Criado pelo designer Harvey Ball em 1963, por encomenda de uma companhia de seguros com o intuito de estimular através do bom humor, o logotipo  foi inicialmente aplicado em um button para ser usado pelos funcionários. Fez tanto sucesso que começou a ser aplicado em outras empresas e também em produtos. Corre na boca pequena que o senhor Harvey ganhou apenas US$240 pela criação. Outro boato que corre é que o designer não foi tão criativo assim. Ele copiou  a carinha feliz que já tinha feito seu debut em 1958, em uma ação publicitária de uma rádio de Nova Iorque. A estação WMCA  distribuía camisetas com o símbolo de um rosto sorridente para seus ouvintes. Harvey adicionou o fundo amarelo, deixou os olhos em formato oval e colocou vincos no sorriso, para dar mais personalidade ao desenho. Pronto! Estava oficialmente criado o Smile. (Sim, nessa época, ele ainda era chamado assim.)

Spread the word:

Em 1967, na cidade de Seattle, nos Estados Unidos. A universidade Federal Savings & Loan usa o desenho em uma campanha publicitária. Em 1970, na Philadelphia, os irmãos comerciantes Bernard and Murray Spain finalmente percebem o potencial do desenho, registram a marca nos Estados Unidos, adicionam a frase “Have a nice day”, e produzem centenas de canecas, adesivos, camisetas e buttons. No ano de 1972, mais de 50 milhões de bottons com o Smile e a frase “Have a nice day” haviam sidos fabricados.

Nesse mesmo ano, o jornalista Franklin Loufrani introduziu o desenho na Europa e o “batizou” de Smiley Face. Ele também registrou a marca, só que mais esperto que os irmãos Spain, em toda Europa, criando a The Smiley Licensing Corporation, Ltd. A empresa existe até hoje com o nome de The Smiley Company e com registro em mais de 100 países.

O rosto de uma geração:

O Smiley passou por todo os anos 80 visto daquela mesma forma que os irmãos Spain criaram. Muitos diziam que ele tinha se transformado oficialmente no símbolo do capitalismo americano. Mas tudo estava prestes a mudar.

Em 1990, a banda grunge Nirvana adota o Smiley como símbolo em uma versão “high” (ou drogada se você preferir). Dizem que foi uma forma debochada de Kurt Cobain, líder da banda, responder à fama capitalista do desenho. O Nirvana era a banda mais influente dos Estados Unidos. Em pouco tempo a nova versão do Smiley já tinha se transformado em uma ferramenta contra o sistema.

Naquele tempo outro movimento musical tinha força e também tinha o Smiley como símbolo. O Techno, um estilo musical eletrônico que surgiu nos anos 80, “teve filhotes” dando origem ao estilo House, com um sub gênero, chamado de Acid House. O estilo tinha como símbolo o rostinho sorridente, que era estampado em comprimidos de Ecstasy.

Em 1994, é lançado o filme blockbuster Forrest Gump (vale MUITO à pena assistir), que conta os fatos mais importantes da história americana através  da vida do personagem central. Nele, a criação do Smiley é citada como uma das mais marcantes da história do país.

Também nos anos 90, o grafiteiro inglês Banksy cobriu muros de Bristol com soldados “Smiley”.

No ano de 1999, os correios americanos lançam uma série de selos em homenagem ao Smiley.

Smiley strikes back:

Nos  anos 00’s, o desenho virou emoticon, e passou a ser usado na internet por milhões de jovens.

Talvez por representar de forma muito forte a geração anterior, o smiley passou muito tempo sendo lembrado pelos jovens apenas na internet, mas o sorridente amarelo está de volta às ruas.

Junto com a celebração dos anos 90 que estamos vivendo nos dias de hoje, ele  faz a sua volta através da moda e estampa blusas, shorts, sapatos e bolsas.

Como símbolo de empresa de seguros, propaganda universitária, na música ou na moda, o símbolo tem atravessado gerações e promete continuar por aí, por um bom tempo. :) :)

 

 

 

 

Tags:


8 + 3 =


0 Comentários