Olympe De Gouges: Feminista, revolucionária e heroína – Resenha do livro e Promo!

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por Pollyanna Assumpção:

Essas últimas semanas foram marcadas nesse mundão da internet pela discussão levantada pela existência da fanpage chamada Woman Against Feminism. A discussão explodiu, o Buzz Feed fez post zoando, as meninas no Tumblr se revoltaram e as redes sociais viraram um festival de plaquinhas sobre porque a gente precisa ou não do feminismo. Particularmente a minha favorita foi essa aqui, Cats Against Feminism. Porque se for pra ler zoação, que tenha fotos de gatinhos lindos junto. Mas falando sério agora, fico me perguntando o que se passa na cabeça de uma mulher que acredita de verdade que não precisa de feminismo. Vontade de falar “Amiga, se você pode botar sua cara e essa sua plaquinha safada na internet é graças ao feminismo”. Simples assim.

Já contei pra vocês lá numa das minhas primeiras colunas um pouquinho da história do feminismo. Ele teria começado sua primeira onda lá no final do século XIX e ido até o início do século XX e existido basicamente como um movimento de luta das mulheres ocidentais para garantirem direitos básicos como estudar, trabalhar e votar. Isso não quer dizer que os historiadores não levem em consideração qualquer movimento feminista antes disso. Vários historiadores consideram Cleópatra uma das primeiras feministas devido ao grande poder político e sua famosa liberdade sexual. E estamos falando numa era antes de Cristo e não ocidental.

olympe-livroolympe-livro-destaque

olympe-livro-interno

Mês passado ganhamos da Editora Record o livro Olympe de Gouges, biografia em formato de graphic novel (um livro que é desenhado e apresentado em quadrinhos) maravilhoso sobre uma das feministas francesas mais controversas da história, em um tempo pré movimento feminista. Outro dia eu estava lendo sobre como as HQs ou graphic novels pra quem é chique, tem sido uma nova forma de fazer com que as crianças leiam na escola. Não sei exatamente se concordo com essa metodologia, mas assumo que como leitora de algumas HQs ficcionais, me interessou bastante ler uma biografia feminista nesse formato.

Pra quem não sabe, Olympe foi a filha de um relacionamento extra conjugal entre uma mulher comum e um aristocrata na França em 1748. Já adulta, a revolucionária escreveu a Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã num período pré Revolução Francesa, onde os próprios direitos civis do cidadão comum ainda eram meio nebulosos. Originalmente chamada Marie Gouze, casou jovem, enviuvou jovem, se mudou pra Paris e adotou o pseudônimo Olympe de Gouges e começou sua militância feminista, pelos direitos humanos e pelos direitos dos filhos ilegítimos.

A obra é dos autores José-Louis Bocquet e Catel Muller, responsáveis pela HQ, escreveram também Kiki de Montparnasse. O livro é escrito em primeira pessoa, a própria Olympe de Gouges narra sua trajetória como uma das principais defensoras da liberdade e dos direitos das mulheres, na França do século 18. Por suas ideias arrojadas e insistência em posicionar-se a favor das oprimidas, a protagonista foi guilhotinada em 1793, durante a Revolução Francesa, mas não se deixou intimidar e lutou até a morte para realizar o sonho de uma sociedade livre e igualitária.

A graphic novel tem linguagem adulta, não nos poupa das aventuras sexuais de Olympe e é extremamente agradável de ler. Feminismo deve ser vivido no dia a dia, na liberdade de escolha, no relacionamento com as irmãs, mas se você também gostaria de ler um pouco mais sobre o assunto mas não tem muita paciência para grandes livros e muitas teorias, ou se história não era exatamente sua matéria favorita na escola, recomendo! Nunca tinha lido uma biografia ilustrada e acho que é uma das formas mais interessantes de estimular a leitura. Então definitivamente essa é a minha recomendação feminista do dia. Espero que ao final dele e percebendo que precisamos sim do feminismo, nenhuma de vocês resolva escrever mensagens sem sentido e postarem em plaquinhas na internet. Sempre precisamos do feminismo e enquanto as relações sociais não forem efetivamente iguais, enquanto mulheres forem abusadas e violentadas, enquanto não formos respeitadas em nossas decisões, sejam elas quais forem, precisamos sim, do feminismo.

promo-livro-olympe

PROMO

Curtiu e tá morrendo de vontade de ler o livro? O legal é que a editora Record também mandou dois para a gente sortear entre as leitoras! Para participar é super fácil. Diz aqui nos comentários: Por que você precisa do feminismo? Vamos escolher a vencedora e o resultado sai aqui no post e nas nossas redes sociais no dia 01/08/14 sexta-feira, às 18 horas!

As vencedoras da promo são:

Enilse Esperança

Vanessa Del Caro

Enilse e Vanessa, mandem pra gente o endereço de vocês por email: gws@girlswithstyle.com.br

Obrigada a todas pela participação!

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr

assinatura Pollyana

Tags:


8 + 1 =


0 Comentários