Primeiramente boa noite #36 – Amor, casórios & perrengues

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por Gian Lucca:

#36

Hoje eu recebi a notícia que mais um casal de amigos vai casar. Eu fico tão feliz com essas notícias que nem sei explicar. Os pombinhos já mandam eu pensar no outfit de design arrojado e nas alegrias da festa pra eu providenciar. Cerimonias de hoje em dia não tem arroz, tem especiarias-especiais, e isso deixa as coisas muito mais alegres e sustanciosas. A comida não pode falhar por nada e o bem-casado tem que ser aquele assado certinho pra não ter gosto ruim. Bastante açúcar pra pressão arterial ficar gostosinha. É sempre bom também pensar na localização pra conseguir um hotel por perto. Casamento sempre rende uma transa entre convidados e essa é a melhor parte. Galera fica emocionada e rola uma trepada sem compromisso com as turmas que se juntam. É impressionante também como nessas festas os garçons que viram seus melhores amigos. Você ama eles mais que tudo. Cria um vínculo absurdo, fala da vida e no intervalo pede pra encher o copo. Melhor open-bar. Claro que há excessões, tipo no casamento do Felipe Dylon e da Aparecida Petstróvsky, onde os convidados pagavam pela dose de whisky. Absurdo sem fim.

Tava conversando com uma amiga em comum, falando desse casamento e dizendo que esperamos ter companhia pra ir na cerimonia. Daqui um ano a única coisa que eu espero é estar sei lá, apaixonado, de romance, pra na hora do chororô de ver os amigos no altar falar baixinho no ouvido do amante “a gente vai casar assim bonito igual eles” etc. Bem cafona e gostoso. Sempre pensei em casar na praia. Os garçons ficariam parados com um isopor cheio de bebidas, na cerimônia todos estariam bebendo uma água de côco e queria uma decoração com mesas de prancha de surf e panos brancos. Tô viajando? Esses tempos perdi um casamento em Caraíva, na Bahia, e a noiva a-p-e-n-a-s chegou no altar de canoa. Cara, imagina isso? Pôr do sol, canoa, casamento, amigos, areia… E claro, o homem da sua vida alí. Porra, Deus, eu quero isso aí.

Nem tudo é festa e existem muitos problemas a serem enfrentados até você ter a certeza que aquela pessoa é a que você quer levar pro altar pra viver pro resto da vida. Um exemplo simples é se ela faz bem um sexo oral ou fica com nojo dos seus pentelhos. Peguei pesado? Tem que rolar uma preparação pra tudo. Meu último romancezinho, logo nas primeiras trepadas/dormidas em casa, viu que eu tava com o pé frio e foi lá esquentar. Isso é fofo e isso prova que aquela pessoa não é louca dos nojinhos. A galera tem essa de ter nojo de pé. Se tem nojo de pé, imagina do resto? O gosto do esperma é ruim, mas você tem que levar ele numa boa porque na verdade ele nada mais é do que um prêmio que você ganha depois de ter um puta trabalho pra aquilo sair. Tô sendo bem sincero hoje.

Acho que era isso. Espero que a gente daqui um ano arrume um par de vaso, arrume a metade da laranja etc. Mombojó dizia assim: “já que eu não engulo pílulas, vou tomar vitamina C”. Sempre existe uma alternativa. Obrigado a nós, viva o amor e semana que vem tamo junto.

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura Gian_ copa

Tags:


5 + 2 =


1 Comentários