Primeiramente boa noite #57 – Pão na chapa

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por: Gian Lucca

#57

Eu sei que tô atrasado. Pior do que estar atrasado com os compromissos da semana é não avisar ninguém que vai atrasar. Essa é uma das coisas que o Rio me ensinou: segue o flow e se importa com a vibe. A galera tem um excesso de vibe absurdo e as vezes eu sinto falta disso em São Paulo. A ponte aérea deu uma diminuída porque a gente sabe, só agora temos uns freelinha mais ou menos.

Ontem eu saí pra boate pra fazer uma pesquisa de mercado. Queria saber o que tinha de gente solteira, de gente namorando, se o frio já chegou de fato, se a galera ainda faz um negocinho gostoso no banheiro, se a fila é legalize, essas coisas. Decepcionei, claro. Galera pega 87 na noite, até aí tudo bem, eu também sou sem critério, mas assim, investir em um pra levar pra casa não existe mais? Galera só quer ficar dando beijinho? Pegação na parede é gostoso e legal, mas aí dorme solitário? Cheguei em casa 4:30am e assisti Babilônia, sabe isso? Dormi desgostoso. Gasta mínimo 30 reais de táxi, gasta mínimo 60 na night, uns 20 na larica. São 110 reais pra dormir sozinho? Ai cara, para de ser burro, assina Netflix por 15 reais por mês e fica de boa.

Outra coisa que esqueci de falar é o quanto os que namoram estão soltos. Eles olham, passam esbarrando e são capazes de sugerir um brunch. Não é suficiente ter garantido o almoço e a janta, tem que arriscar o brunch. A verdade é que traição hoje tem vários lados e a história, pelo menos pra mim, é a mesma: tá comigo ou não tá comigo.

Dentre os milhares de emails que recebi na última semana (pior que foram muitos, histórias maravilhosas, cês tão de parabéns hahahaha só perrengue do bem), recebi um de uma leitora que me perguntou o que eu assisti recentemente e achei muito legal. Aleluia alguém me deu alguma ideia do que escrever. Vou botar então aqui um top 3:

The Casual Vacancy: achei muito legal a minissérie baseada no livro da J.K. Rowling. São três episódios de uma hora e fiquei doidão logo no primeiro. Eu não li o livro pra fazer a comparação, mas li que até que foi fiel ao livro. Consegui baixar tranquilo e também achei pra ver online, só dar uma caçada.

The Culture High: eu tô um pouco entusiasmado com o tema cannabis e comecei a ver várias coisas pra entender melhor a história desse matinho tão lindo e tão polêmico. O documentário tem no Netflix e achei muito bacana, conta a história desde o começo, faz entender da onde surgiu o preconceito bizarro que ronda a maconha há anos e mostra que, em breve, não é possível que não seja legalizada no mundo todo. Ela faz bem e os estudo comprovam isso. Assistam, quero muito fazer um post só sobre isso, quem sabe semana que vem.

Better Call Saul: tem gente falando que não tem nada a ver com Breaking Bad, e eu digo: cara, não faz o menor sentido assistir Better Call Saul sem ter assistido BB. Demorei pra entrar de cabeça na história e entender o enredo do advogado Goodman, mas entrei e é muito legal. Tem no Netflix também, investe até o episódio 7 que vai valer a pena e depois vai que vai

Adeus

Tags:


7 + 4 =


0 Comentários