Em fotos: Punk

Por Marie Victorino / marie@gwsmag.com

Resolvi resgatar aquela tag temática que eu tinha começado há um tempo atrás e neste clima de manifestação, escolhi como tema o movimento punk.

O punk, além do estilo musical criado na década de 70, é também a cultura em torno dele. Inicialmente, a ideologia era apartidária, mas com o passar do tempo punks e anarquistas passaram a colaborar entre si em ações ativistas, opondo-se à mídia tradicional, ao Estado, às instituições religiosas e grandes corporações capitalistas.

Nos Estados Unidos, quem deu início ao punk rock, foi a banda Ramones como uma espécie de manifesto contra os rumos do rock’ n’ roll naquela época. O novo estilo, tinha a energia voltada para a provocação, a ironia e o deboche. Em pouco tempo, a estética trazida pelo punk rock tomou conta das ruas e influenciou muitos jovens a praticarem o “do it youself”, seja montando a própria banda, sem o contrato com uma grande gravadora, modificando suas roupas com símbolos sadomasoquistas ou criando fanzines como o “Snifin’ Glue” para divulgar o movimento. Em Nova Iorque, onde o movimento era mais forte, a casa de show CBGB ficou conhecida como o berço do punk rock, por ceder o palco para bandas como o próprio Ramones, Blondie, The Misfits e muitos outros.

Na Inglaterra, os problemas econômicos e sociais serviram de base para que o punk assumisse um lado mais crítico e agressivo e bandas como Sex Pistols ganhou destaque. O empresário da banda, Malcolm McLaren (grande influência no meio e propagador do movimento) era casado com a estilista Vivienne Westwood e juntos fundaram a loja “Let it Rock”, com roupas do estilo punk.

A partir de 1977 o punk se tornou um fenômeno na maior parte do mundo e pouco a pouco foi se transformando e se dividindo em sub-gêneros.

 

CBGB

Fanzine Snifin’ Glue

Vivienne Westwood

 

 

Tags:


6 + 7 =


0 Comentários