Rosácea: Causas, Sintomas e meu Tratamento com a Dra. Camila Petrilli

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

Nunca fui uma pessoa com grandes problemas de pele. Na adolescência, eu até passei por aquela fase com espinhas, mas nada muito grave. Depois do 20, posso dizer que fiquei com a pele perfeita. Só lutava contra oleosidade na zona T, nada muito drástico.  Depois dos meus 27 anos, comecei a perceber muito vasinhos visíveis no meu rosto, poros super abertos e bolinhas no nariz que pareciam espinhas, mas que nunca sumiam. Espinhas, a pele um pouco áspera e uma vermelhidão que não desaparecia nunca. Junto com isso, um desconforto sem fim! Coceira e a sensação que pele estava sempre desidratada, mesmo eu hidratando bastante. Eu comecei a achar que simplesmente, minha pele tinha mudado. E comecei a procurar soluções sozinha e separadamente para cada uma das “novidades” no meu rosto. Algo que diminuísse os poros, alguma coisa que melhorasse as espinhas que nunca saíam do nariz e hidratava a pele como uma louca para tentar curar o ressecamento. E assim, fiquei durante 1 ano e nada mudava. Aliás comecei a reparar que a vermelhidão e a coceira só pioravam.

Então, resolvi pesquisar mais sobre tudo aquilo que eu via e sentia na minha pele. E foi assim, quase 1 ano depois, que descobri que era rosácea e que tudo que eu tinha: Vasinhos, bolinhas no nariz (que então descobri que se chamam rinofima), espinhas, pele áspera e vermelhidão, eram sintomas da doença.

Mas afinal, o que é rosácea? É uma doença de pele comum, cujos sintomas envolvem áreas de vermelhidão na pele e lesões inflamadas, especialmente nas bochechas, nariz, testa e queixo. A doença afeta mais mulheres do que homens, e quando os primeiros sintomas aparecem, podem ser confundidos com queimaduras solares, pele ressecada ou qualquer coisa desse tipo. Conforme a doença se agrava, a vermelhidão torna-se mais duradoura e óbvia e podem piorar ao longo do tempo. Nas minhas pesquisas também descobri que existem cinco subtipos de rosácea, que variam conforme ela se manifesta. Achei esse post aqui no site Minha Vida, muito bom e bem explicadinho se você quer entender melhor, ou saber se tem rosácea.

Camila Petrilli Nuta Vasconcellos{Eu e Dra. Camila Petrilli}

A notícia boa é que eu já tinha encontrado qual era o meu problema, agora tinha que encontrar uma boa dermatologista para melhorar o máximo possível minha pele, já que a rosácea, não tem cura, mas é super tratável e possível de controlar. Mas aí começou outra novela… Achar um dermatologista parecia fácil, mas era difícil. Acho que para você seguir em frente com um tratamento com um dermato tem que existir muita confiança. Além de confiança, como a minha mãe diz, “o santo tem que bater” afinal, dermatologista não é só um médico que você vai, toma o que ele receitou e acabou. É como uma ginecologista, a pessoa tem que te conhecer, conhecer seus hábitos, suas preferências, sua rotina, tem que existir um relacionamento. E eu simplesmente não conseguia achar uma dermatologista que eu quisesse chamar de minha nesse Rio de Janeiro. E olha que procurei. Fui em 4 dermatos e nada fluía. Uma disse até, que nem rosácea eu tinha. Quando já estava cansada de procurar e na verdade, nem procurando mais, uma amiga me recomendou a Dra. Camila Petrilli. Confesso que fiquei um pouco na dúvida de marcar uma consulta, tendo em vista que a clínica que ela atende, fica no bairro mais nobre do Rio de Janeiro. Sim, a consulta não é barata, mas é o preço padrão de quase todas as dermatologistas de nome que conheço ou já ouvi falar na cidade.

limpeza

{Snapchat (segue lá: NutaGWS!) durante a limpeza de pele, momentos lindos.}

Quando cheguei ao consultório, fiquei impressionada com a beleza do lugar. A sala de recepção, gente, eu gostaria que fosse a minha sala! Tudo lindo e realmente muito chique, portanto, continuei me sentindo um pouco acuada. Mas no momento que ela abriu a porta e disse “oi”, tudo mudou! Dra. Camila é simpática, sorridente, interessada no meu caso, em ouvir minha história, em saber detalhes da minha rotina e da minha pele. Ela disse: “É rosácea e eu já sei como vamos tratar!” Senti confiança nela na hora e viramos amigas (gravamos snapchat e conversamos sobre blogs!). Então ela decidiu que antes de começarmos o meu tratamento eu deveria fazer uma limpeza de pele. Não é necessário fazer o procedimento antes de começar a tratar  rosácea, mas a Dra. Camila disse que sempre recomenda para quem tem cravos e espinhas. No mesmo dia eu fiz a limpeza de pele (a clínica aonde a Dra. atende, possui vários tipos de tratamentos e laser), enquanto isso a Dra. Camila montava como seria meu tratamento.

rosácea-1-dia

O tratamento da rosácea inclui produtos que devem ser utilizados em casa e associados com tratamento com laser. No meu caso, que apresento uma vermelhidão fixa e algumas pústulas (que parecem espinhas) ela me receitou um sabonete (que aliás estou amando. É de uma marca que chegou agora no Brasil, chamada under skin), um  manipulado com agentes calmantes e metronidazol (que é um anti-microbiano) e um industrializado, para eu usar somente duas vezes na semana, o MIRVASO, que controla o “flushin” ou seja, a vermelhidão. Outra coisa que a Dra. Camila me disse é que peles com rosácea, só devem sair ao sol com protetor solar porque o astro rei piora a aparência da doença. Para isso, ela me recomendou o BB Blur da La Roche, que tem protetor solar e uma cor leve que disfarça a vermelhidão, perfeito para o dia a dia. Isso é tudo que eu tenho que fazer em casa, porque para complementar o tratamento vamos associar o laser. No meu caso, usamos o GENESIS (já fiz minha primeira sessão e já senti muita diferença na aspereza da pele!) que é um laser micro pulsado, que melhora a aparência dos vasinhos e a vermelhidão fixa. Depois, vamos usar também a luz intensa pulsada, chamada limelight, aproximadamente 5 sessões.

IMG_1620

{Tratamento em casa! Sabonete líquido Under Skin, manipulado com agentes calmantes e metronidazol, MIRVASO e BB Blur da La Roche}

Estou muito empolgada e animada para tratar uma coisa que me incomoda (não só esteticamente, mas principalmente, fisicamente já que realmente arde e coça) e queria compartilhar minha história com vocês por diversos motivos: Primeiro porque muita gente tem rosácea e nem sabe! Segundo, tem gente que sabe e acha que está tudo bem não tratar, que são só bochechas vermelhas. E galera, não tá. A rosácea piora com o tempo e se vocês derem um google em casos graves da doença, sentirão medo. Terceiro porque quero compartilhar meu tratamento com vocês para vocês acompanharem o processo e em quarto lugar, já que eu achei super difícil encontrar uma dermatologista boa e que eu confiasse, achei que vocês poderiam estar passando a mesma coisa.

Enfim, comecei meu tratamento não tem nem 1 mês e ainda não posso falar muito sobre resultados… Mas aguardem notícias! E lembrem-se, cada caso de rosácea é um caso e precisa de um tipo diferente de tratamento. Por isso, procure uma dermatologista! Óbvio que recomendo a minha, Dra. Camila Petrilli, que atende na Barra da Tiuca e no Leblon aqui no Rio de Janeiro. Pra saber tudo, vai lá no site dela: www.camilapetrilli.com.br

Vamos esperar cenas dos próximos capítulos!

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura-Nuta_2

Tags:


1 + 7 =


4 Comentários

  • FATIMA ZIEGLER

    Pois é, estou super triste com rosácea tem dois meses.
    Imagina como estou me sentindo sendo Professora de Etiqueta e Postura e tendo que me apresentar por todo o Brasil.
    Coça, irrita, vermelho demais, entre tantos outros fatos insuportáveis.
    Passo a maquiagem e parece que tem farinha por baixo.
    Chatice.
    Bom saber que está feliz com o tratamento.
    Sou do Rio de Janeiro também e comecei na semana passada um tratamento cm um médico de Copacabana.
    Vamos torcer para tudo dar certo.
    Boa sorte.
    Fatima Ziegler

  • joana

    oi tudo bem?procurva informaçoes sobre rosacea que eu tenho e te encontrei…gostei muito.voce continua com o tratamento?como voce esta hoje?
    beijocas sou a joana

    1. GWS

      Joana, tem post contanto como estou 1 ano depois!http://www.gwsmag.com/como-anda-meu-tratamento-de-rosacea/#comentarios

  • Vanessa

    Tbm fui diagnosticada mas o q mais me incomoda é a pele áspera,pois minha pele não aparenta muito vermelha. Comecei o tratamento mas infelizmente n vi resultado ainda, espero conseguir rs!