Ser amada não é fácil.

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

amor-tranquilo

Quando você passa muito tempo sozinha, você esquece como é dividir a vida com alguém. Não digo isso de uma forma triste, durante grande parte desse tempo, eu adorei ser solteira, mas quando você passa muito tempo sem  amar e sem alguém que te ama você esquece pequenos detalhes de como é ser amada. Você esquece como é amar também.

Tudo culpa desses joguinhos da conquista que a gente passa tanto tempo jogando. “Mando mensagem, sim ou não?”, “liguei da última vez, então vou esperar ele ligar”, “Vou postar foto no instagram pra ver se ele curte”, “não vou falar que gosto dele, ele pode sumir”, “se eu mostrar ciúmes, vai achar que eu sou louca”.

Quando não existe amor, tudo vira um grande jogo. Regras que você cria pra você mesma, regras que eles criam pra eles mesmos… E a coisa não tem fim. Nada fluiu naturalmente, tudo é pré pensado. E assim cresce um muro invisível entre você e o outro.

Depois de ficadas que não engataram, de encontros e desencontros, de frios na barriga intercalados com ansiedade e insegurança e muitas, muitas decepções estamos sempre nos entregando… mas nem tanto. Afinal, se der merda, ninguém vai poder falar pra você: “Eu aviseeei” porque você já foi mais “esperta” e sabia desde o começo.

Viver algo real, sem joguinhos, sem montanha russa de emoções, sem calcular o tempo da última mensagem no celular, liberta. É cafona, eu sei, mas o amor liberta. E você esquece essa liberdade de um relacionamento quando passa muito tempo nos jogos da conquista.

Você esquece que pode ser você mesma quando tem amor. Pode mandar mensagem a hora que quiser, pode dizer o quanto gosta dele quando bem entender. Pode mandar emoji cafona na madrugada, tomar banho e sair de cabelo molhado, sem maquiagem e ele ainda sim, vai estar lá. Não precisa ter a ansiedade do “Será que vejo ele esse final de semana?” Porque sim, você verá e vocês vão passar domingo vendo filmes embaixo das cobertas.

Não é fácil ser amada. É uma guerra diária não levantar o muro da proteção de novo, confiar. Qualquer frase mal interpretada já se torna motivo para a red flag. Não é fácil aceitar o amor.

Depois de colecionar relacionamentos fracassados e tentativas de relacionamentos, estamos sempre prontinhas para lidar com a perda. Pra ficada que não virou namoro, pro cara que você sabiaaaa que era babaca, pro rodador de pratinho… e estamos ali, sempre na defensiva, pra a qualquer momento, sair por cima.

E quando nada disso acontece? Quando esse muro cai é maravilhoso, mas ainda assim, você não sabe muito bem o que fazer. É difícil se deixar amar. Depois de tanto tempo, construindo muros, finalmente  se abrir, se entregar, se deixar levar, sentir, ser livre.

Sair do caos, da montanha russa de emoções, das incertezas, não é fácil. Pode parecer até chato, mas “eu quero a sorte de um amor tranquilo”.

Nada é melhor do que ser livre. A liberdade que só o amor te dá.

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)
Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:
Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr

 

assinatura_NUTA

 

Tags:


3 + 1 =


0 Comentários