Shambala e miçangas!

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

Pode confessar. Você adora Shambala e nem sabia. Não, não é uma música da Maria Gadú, nem nome de deusa wicca, mas tem um pé na religião.

O nome foi inspirado nos terços budistas e representam a união do homem com todas as energias cósmicas simbolizadas pelo lugar sagrado, a Shamballa. No budismo tibetano, Shamballa é um reino mítico, oculto em algum lugar na cordilheira do Himalaia ou na Ásia central, próximo da Sibéria, significa em sânscrito “um lugar de paz, felicidade, tranqüilidade”, e acredita-se que seus habitantes sejam todos iluminados.

Achei umas lindas nas lojas virtuais amigas Amo MuitoDoida de Pedra e Ateliê Chic para as GWS com habilidade manual (não é o meu caso) achei esse D.I.Y super bom:

http://youtu.be/5t5oQUtl7Qw

A “original” são as beads (as bolinhas) de pedras preciosas ou semi-preciosas em macramê, mas na onda pulseirismo e com o hit que elas se transformaram, podemos encontrar uma infinidade de tipos de beads, pedras, metais, desenhos, aplicações e combinações. Os materias também não se limitam ao macramê. Agora entra a camurça, a corda e outros materiais naturais.

Outra trend que se junta ao pulseirismo são as pulseiras de miçangas com desenhos étnicos. Influência da moda Apache (viu nosso editorial?) então, pode misturar com suas shambalas! O clima agora são esse modelos com cara de feito à mão e naturais. Mas GWS que é GWS mistura logo com pulseiras bem poderosas de spike, relógios e metais brutos hein?

E vocês? curtem a tendência?

Tags:


4 + 9 =


2 Comentários

  • Debora Souto

    Boa Noite gostaria de saber onde encontrar essas pulseiras grossas de miçangas?
    Att,
    Debora Souto.

  • Debora Souto

    Boa Noite gostaria de saber onde encontrar essas pulseiras grossas de miçangas?
    Att,
    Debora Souto.