Sobre humanos…

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

 

Ok.‭ ‬Caso Arezzo.

Eu relutei em escrever sobre isso,‭ ‬mas no final das contas foi mais forte do que eu.

Antes de tudo vou explicar de uma forma‭ ‬“fashionista‭”‬ (pitada forte de sarcasmo aqui‭)‬,‭ ‬assim todo ser humano com o tico e o teco pode entender.‭ ‬Vamos supor que você está na faculdade de moda e o professor diz que vocês devem desenvolver uma coleção sobre o Egito.‭ ‬Um colega da sua turma vai escolher desenvolver a coleção inspirado nas pirâmides,‭ ‬o outro sobre a Cleopatra e você pode escolher se inspirar nas areias.‭ ‬Por‭ ‬que quando você pensa sobre uma coisa,‭ ‬seu pensamento viaja e às vezes você termina bem longe de onde começou.

O motivo de eu ter dado esse exemplo foi simples,‭ ‬não fui contra nenhum movimento contra o uso de peles.‭ ‬Nem a favor de nenhum lado.‭ ‬Muito pelo contrário.‭ ‬Parece complicado,‭ ‬mas é simples.‭ ‬O caso,‭ ‬que era sobre uso de peles no vestuário,‭ ‬me fez pensar e abordar outra questão:‭ ‬O ser humano.

 

Quando abri meu twitter no dia da divulgação das peças feitas pela grife com peles,‭ ‬foi natural a expressão de tristeza no meu rosto.‭ ‬Mas poucos minutos depois,‭ ‬eu já estava tomada por outro sentimento,‭ ‬um que me toma sempre nas situações mais diferentes,‭ ‬aquele que eu digo pra mim mesma:‭ ‬“o ser humano é um ser muito intrigante‭!‬” Por quê‭? ‬Tenho a sensação que o ser humano vive em eterna histeria coletiva.‭ ‬Não sei se é uma forma de botar para fora sentimentos,‭ ‬se é para dar um alívio na tensão,‭ ‬fato é,‭ ‬na minha humilde opinião‭ (‬na minha mais sincera verdade,‭ ‬é isso que acho dela‭) ‬o ser humano é um ser contraditório.

Ok,‭ ‬não vou entrar na questão de comer carne ou não.‭ ‬Eu poderia,‭ ‬mas não vou entrar.‭ ‬A questão é:‭ ‬Por‭ ‬que é crueldade com a raposa e não é crueldade com a vaca‭? ‬com a cobra? com o jacaré? Por‭ ‬que quando a Arezzo fazia coisas em couro era lindo e agora com raposa é feio‭?

É,‭ ‬o ser humano é contraditório,‭ ‬e tem mania de se achar superior.‭ ‬Ouvi muito que a Arezzo‭ ‬“tinha que ser mais humana‭”‬.‭ ‬Ué,‭ ‬mais humana‭? ‬Ela tá sendo super humana‭! ‬O que os humanos fazem‭? ‬Exploram,‭ ‬abusam do seu poder de ser pensante.

E eu não sou diferente.‭ ‬Sou humana.‭ ‬Esse ser tão contraditório.

Como carne,‭ ‬uso couro e estou morrendo de pena da raposa.‭ ‬Poderia ser mais ridícula‭?

Não,‭ ‬não poderia,‭ ‬mas bem…‭ ‬esses somos nós,‭ ‬humanos.

Eu não consigo abraçar meia causa.‭ ‬Imaginem se a‭ ‬vaca fosse um ser pensante…‭ ‬E ela entrasse no twitter e lesse toda essa galera em defesa da raposa…‭ ‬Bem,‭ ‬isso é o que nós,‭ ‬humanos,‭ ‬chamamos de bulling.

Se você é vegan,‭ ‬vegetariano ou qualquer coisa do tipo,‭ ‬até agora esse texto pode não ter se encaixado pra você,‭ ‬mas tá aí outra coisa que me intriga na humanidade…‭ ‬Como somos donos da verdade,‭ ‬né‭? ‬O vegetariano‭ (‬se você é vegetariano e não se enquadra nesse perfil,‭ ‬meus sinceros parabéns.‭) ‬não estava defendendo os animais,‭ ‬estava atacando os seres humanos.‭ ‬O que mais vi no twitter‭ ‬e facebook foram frases pesadas e cheias de raiva.‭ ‬Para defender os animais vale soltar frases como‭ ‬“Arranca a pele da sua mãe e usa no pescoço‭?‬” ou‭ ‬“Queria pendurar o estilista da Arezzo no matadouro‭”‬.‭ ‬Bom,‭ ‬se vocês acham que vale,‭ ‬eu com toda sinceridade do mundo,‭ ‬respeito a opinião de vocês.

Afinal ninguém aqui tem a verdade absoluta.‭ ‬Nem quem usa pele,‭ ‬nem quem não usa,‭ ‬nem quem come carne,‭ ‬nem‭ ‬quem não come.‭ ‬Somos meros humanos,‭ ‬com as nossas pequenas opiniões.‭

 

E na minha opinião,‭ ‬a Arezzo foi pega pra Cristo,‭ ‬vitima da histeria coletiva.‭ ‬As peles estão aí,‭ ‬sendo usadas e‭ ‬glamourisadas não é de hoje,‭ ‬tanto em grifes nacionais como internacionais.‭ ‬Vacas‭ ‬passam por matadouros piores do que qualquer filme de terror que‭ ‬estamos acostumados a ver,‭ ‬a rua é cheia de cachorros abandonados daqueles que muita gente fala pra sua filha não encostar pra não pegar doença.

O que eu gostaria é que o caso Arezzo fosse bem mais do que histeria coletiva.‭ ‬Gostaria que gerasse uma mudança real no meu comportamento,‭ ‬no comportamento das pessoas.‭ ‬Que nos fizesse pensar duas vezes antes de colocar o bife no prato,‭ ‬duas vezes antes de comprar aquele sapato de couro,‭ ‬duas vezes antes de comprar um cachorro e depois abandonar na praça.

Gostaria que as pessoas pensassem mais nas situações como um todo.‭ ‬E se esse caso servir pra isso,‭ ‬ficarei bem feliz.‭ ‬Na verdade,‭ ‬já fiquei bem feliz disso não ter sido abordado em meio a Copa do Mundo porque,‭ ‬imagina‭? ‬A maioria não ia dar a mínima.

E quando tweetei sobre o caso,‭ ‬foi isso que quis dizer.‭ ‬Teve gente que entendeu,‭ ‬teve gente que não entendeu e como diria minha amiga Carol Guido:‭ ‬“Vida que segue.‭”

 

 

 

Tags:


7 + 2 =


27 Comentários

  • Carolina Prata

    Adorei o texto, que fala francamente sua opinião, sem ataques histéricos e hipócritas. Minha opinião diverge um pouco do que falou, mas em outros pontos bate!
    Parabéns pelo post! Beijos!

  • carolguido

    Muito bom! E concordo com tudo!

  • Carol Lancelloti

    Nuta,
    Concordo tudo o que você falou. Você sabe qual é minha posição e eu também entendi a sua. Só queria acrescentar umas coisas:
    -O ato de comer carne de vaca não impede você de ser solidário com outros bichos, principalmente quando sua morte não vai para sua alimentação, mas sim para seu “gosto pela moda”. Por isso, Acho válido, sim, cernívoros se manifestarem em prol de mortes “desnecessárias” de outros animais.
    -Eu não dou o exemplo da mãe, rs, dou sempre o exemplo do seu pet, seu cachorrinho querido em casa. Porque, como já falei diversas vezes e como você abordou no post, é importante, sim, questionarmos a maneira como tratamos os animais como um todo. Porque seu cachorrinho é diferente da raposa? Agora, falar da mãe, já acho demais, muita empolgação e raiva, como você disse.
    -As pessoas não entendem que não é preciso ser radical. O mínimo, você fazer o que você pode e se sente melhor fazendo, já é alguma coisa. Eu me sinto melhor não comendo carnes em geral, mas ainda comendo peixe. Porque eu adoro peixe, ora, e porque me ajuda a ser mais saudável e menos complicado comer na rua. Eu admito! rs Tenho vontade um dia de parar, espero que eu consiga. Mas acho que o que já faço é muito! Se as pessoas reduzissem a quantidade de carne que comem, que diferença isso iria fazer no impacot ambiental no mundo e na vida delas, dos animais…
    -Foi uma euforia coletiva, muita gente hipócrita, sim. Mas acho que ainda assim, foi importante. Porque agora todo mundo vai questionar, pensar… ler posts como o seu, e como os meus. E que bom que a Arezzo ouviu, em parte. Que bom que o mínimo foi feito, alguma hora isso tinha que começar. Eu estava começando a ficar enjoada de tantas peles nas passarelas internacionais, que invadiam as nossas aos poucos. Não pode! E deve ser dito… :)
    Acho que é isso.
    Beijos de uma menina que evita consumir couro, prefere sempre os fakes, mas que não se desfaz das peças que comprou deste material há anos atrás. rs

  • Priscila Morais

    Que texto (extremamente) adequado. Uma opinião completamente coesa e sensata.
    Parabéns Nuta, todos deveriam ler esse texto e analisar suas próprias verdades e opiniões. Sou muito sua fãn =) Você é uma excelente profissional. @p_rii

  • Flavia Porto

    Concordo e aprovo!

  • Re

    Não curto peles. Mas, gente, protestar na web é fácil demais. Quero ver o povo levantar da cadeira e ir pra Brasília.

  • Roberta Dias

    Bom, tudo o que eu penso e queria dizer a Carol já disse sem tirar nem pôr! Tirando a parte de que, sim, eu como carne. Não me orgulho disso, mas fui criada assim. Minha família nunca pôs uma mesa colorida e saudável, eu NUNCA comi assim… e eu como suuuuper pouco, meu prato é sempre miseravel e eu ainda não consigo comer tudo. E tenho anemia! Sabe, querendo ou não a carne tem sua função na minha vida, e eu nem sou tão apaixonada assim por ela. Agora com 24 anos tô me reeducando, fazendo de tudo pra botar os legumes e verduras na minha alimentação, e aos poucos diminuindo o consumo da carne. Mas não acho que isso me impeça de me revoltar com esse tipo de crueldade fútil e desnecessária! Faço conscientemente porque tudo que está ao meu alcance eu faço pra proteger nosso lar doce lar. Desde água corrente, uso de plástico, doação pra abrigo de caridade, economia de energia, reciclagem…. Comecei fazendo a minha parte, na esperança de que as pessoas que estão respondendo com a mesma revolta sejam tanto quanto ou mais conscientes que eu! Não esperava uma histeria generalizada, apenas que o povo acordasse e enxergasse mais tudo que tá acontecendo, pra fazer cada vez mais sua parte.
    E sobre a Arezzo ter sido pega pra Cristo, também concordo. Mas talvez por ela ser uma marca mais acessível (em relação a ter acesso mesmo, não à compra) e pela coisa ter sido exposta de uma maneira mais chocante que as outras. Poderia ter acontecido com a Iódice ou com a Dove, por exemplo, que faz teste dos produtos em animais (de uma maneira igualmente cruel).

    Bom, parabéns por mais um post consciente e inteligente!

    Muitos beijos

  • Anacy

    Adorei seu ponto de vista sobre a questão e concordo plenamente.

  • Lala

    Nuta, Você escreveu um texto de certa forma coeso, mas está defendendo ou o quê? Você compra uma carne no mercado porque está com fome ou uma estola de raposa porque achou chic? Quando um boi é morto, a 1a escala é a carne, pra comer, necessidade. Os ossos e couro são aproveitados pois seriam descartados o que não vejo como sadismo comparado ao caso da raposa, que é abatida cruelmente VIVA para ter sua pele usada como uma estola ou bolsinha. Isso pra mim é sadismo e ignorância.. Eu não uso nada de couro porque não gosto, mas respeito quem compre. Acho todo tipó de protesto válido, não preciso ir à Brasilia pra dizer o que penso. Se há ferramentas pra isso, vou usá-las quantas vezes for necessário. Agora, porque eu como carne eu tenho que chutar um cachorro? Prefiro mil vezes ajudar um bicho na rua do que comprar uma estola de raposa na Arezzo. Não há isenção de culpa. Usar esse tipo de material é cruel, já que a raposa não “serve” pra nada a não ser esquentar pescoço de peruas sem cérebro.
    O ser humano tem todo o direito de ser contraditório mas não é “8 ou 80” não é porque comemos carne que aplaudiremos uma empresa que tem o livre arbítrio de usar ou não pele de um animal que foi batido única e exclusivamente para aquele fim. Como esse é um site de moda, duvido muito que a maioria irá concordar. Pra muitos a beleza vem em primeiro lugar, não importa quais serão os efeitos colaterais disso.

  • Clarissa

    Não tenho nada de couro, adotei meus cachorros e não como carne. Como peixe e acho normal o uso de couro.
    Mas pro uso de pele de animais exóticos eu torço o nariz… Acho muita futilidade.
    É muita contradição e eu sei, mas concordo com o que a lala disse: há uma grande diferença entre aproveitar os restos do animal já morto e matar um animal só pra isso.

  • Mariana Amaro

    Adorei e te entendi eu não fico a favor de nenhum lado seria muito hipócrita, vida que segue rs.

  • Luiz

    Carol Lancelloti disse mais ou menos o que eu queria dizer, o que economiza muita saliva. Eu não como carne e tenho pouca coisa de couro, mas eu já faço muito, então acho minimamente plausível eu me dar “o luxo” de ter uma perfecto de couro. Sei que esse couro existe porque alguém já comeu a carne, mas eu sempre prefiro os fakes. E pelo contrário, não tento demonizar ninguém que come carne… Só que odeio quando você questiona ela sobre o valor da raposa e o da vaca e ela simplesmente diz que “não quer saber como a vaca é morta”. Odeio quem refuta e se recusa a conviver com a realidade. Vários amigos meus (a maioria…) são super carnívoros, sabem como o processo rola e tentam maneirar. Acho que tudo vai da sua posição, não precisa ser radical… Embora um dia eu acredite que todos seremos vegan e o mundo vai ser muito mais equilibrado.

  • Zilah

    Sensatas suas ponderações. Mas, o que me incomoda é que é fácil xingar muito no Twitter. Duvido que metade das pessoas que repudiaram este ato “somente por repudiar’ se engajam em algum movimento em defesa dos animais selvagens.
    Eu não xinguei, só me questionei o mesmo que você. porque não é crueldade com o boi, com o porco, com a galinha e é crueldade com a raposa? Paradoxal essa questão, dá pano pra manga.

  • Taís Sereno

    Achei demais a matéria!!!Ficou bem claro,e eu concordo com vc!!!

  • Barbara

    Olha,sempre me faço essa mesma pergunta,”porque ter pena das raposas e dos coelhos e não das vacas e galinhas??????” SIMPLES,quando se mata um animal pelo simples fato de satisfazer um luxo,uma “futilidade” é uma coisa,agora matar um animal pelo fato de satisfazer uma necessidade biológica,é outra.E garanto que muitos concordam comigo,pq? Todos sabemos que existe a comercialização de carnes de diversos animais, isso não é tão comum na nossa cultura,mas é só olharmos pros outros países que essa pratica é mais freqüente,nos países asiáticos por exemplo,carne de cachorro é muito comum ,e não precisamos nem pensar em outros países pra ver isso,olha só o Brasil,milhares de restaurante servem pratos mais variados como carne de coelho,carneiro,entre outros.E porque isso não é crueldade? O ser humano não vê como crueldade aquilo que satisfaz uma necessidade “vital” (coloquei entre aspas pq muita gente não come carne,logo,não precisa dela pra sobreviver,mas não vou discutir isso) e isso que eu falei se justifica pelo fato de ninguém fazer nada em relação aos pratos com carnes de animais.Agora me fala,se eu pegar esses mesmos coelhos e essas vacas e comercializar como bolsas,sapatos,que necessidade eu vou satisfazer?uma necessidade de ego?de consumismo? de status? Agora eu pergunto, vocês falam tanto das vacas,sempre as usam pra justificar o velho argumento “ ngm fala da vaca” porque ngm fala da vaca? Porque é mais comum vermos coisas feitas de outros animais do que da vaca, se fizessem,ela ia ser alvo também.Agora,se uma outra marca aparecer com bolsa de pele de vaca,vocês vão cair matando.A carne da vaca é “comível” do mesmo jeito que a carne de coelho e raposa é,porém não é tão comum vermos coisas feita de vaca por ai.Então,a vaca não é nenhuma coitada,não sofre preconceito nenhum.Virou clichê falar sobre casacos de pele,assim como virou clichê por a vaca no meio.
    Eu não concordo e realmente fiquei chocada com a arezzo,não sei como a marca fez isso,pois grande parte da população torce o nariz quando se deparam com essa questão,e isso consequentemente prejudicaria a marca,tanto nas vendas como na fama.
    Eu como carne sim, não sou adepta a carnes mais diferentes, mas confesso que amo carne de boi e porco e mesmo assim continuo sendo contra ao uso de peles a favor do consumismo/moda/futilidade/tendências (usem a palavra que quiserem) uma coisa não tem a ver com a outra, como carne sim vou ser sempre contra ao uso de peles,independente de que animal for,e mesmo se eu comesse carne de coelho e raposa,eu iria ser contra.
    Sei que muita gente vai falar que não precisa comer carne pra satisfazer necessidade.Realmente,as estou querendo argumentar como cada coisa se justifica de um jeito.Sem contar que acho que isso ta ligado muito no emocional e na cultura.Coelhos e raposas são sempre animais fofinhos thuthuquinhos,e só de pensar que eles morrem pra virar bolsa e casaco,é tenso.Porque ngm fica com dó quando falam sobre bolsa de cobra?porque a cobra é um bicho feio e xexelento.
    E com ctza,se esse animais fossem seres pensantes que também pudessem criar coisas,fariam coisas com pele de ser humano e ai a discussão seria em torno da raça tb, “poxa,vocês só falam mal do uso da pela humana dos índios,porque não falam do uso da pele dos brancos ou dos negros?” entendem? Imagina o boom de posts que eles fariam sobre esse assunto?
    AGORA ME FALA PQ NGM FALA MAL DO AEXPLORAÇÃO DO BICHO DA SEDA? Haha

  • André Coelho

    Não tem nada de contraditório no ato contra a Arezzo.

    É como comer camarão e não comer grilo frito.

    Não é comum comer raposa. Elas são caçadas, tem o couro retirado e a carne dispensada.

    Ao contrário dos bois. O couro vai pra bolsa, a carne pra barriga.

    Sem entrar nos méritos veggies.

  • Amanda Serra

    É bem mais fácil ir pelo bando do que pensar sozinho e ter opinião própria, né? Hoje em dia ser politicamente correto tá na “moda”, só é que nem você escreveu: o ser humano é contraditório. E sempre vai ser! A Arezzo não foi a primeira e nem a última que vai sofrer com a histeria coletiva. Acho válido esse pensamento de protesto, mas tem muita gente que só fez parte porque tava na boca do povo. Falta reflexão.

  • Marie Victorino

    argumentos como “pq matar tal bicho é comum” não servem pra mim.

    Se seu filho precisa de um transplante de fígado, coração e pulmão, é ok me matar pra dar pra ele? Pq né? a vida dele vale mais que minha na sua visão…
    (não estou direcionando a ninguém. Entanda que “vc” e “seu filho” podem sem qualquer um.)

    A única coisa questionada aqui foi pq uma vida vale mais que a outra e quem somos nós pra decidir isso?

  • Barbara

    O mundo é ralmente estranhos.Mas temos que acostumar com a idéia de que ele é como é,que as pessoas são como são e que as coisas são,como são! O homem é um animal,porém um animal pensante,LOGO,se diferencia dos outros animais e isso faz com que ele seja mais intelectualmente e fisicamente (não perante todos os anmais né,tipo,ele é mais fraco que um leão por exemplo)e é justamente por isso que ele acaba se torand “supeior” aos outros animais,pq mesmo que ele nao seja o mais forte,ele tem inteligencia o suficiente pra criar mandeiras de criar coisas que controlem/derrote os animais mais fortes que ele.CONSEQUENTEMENTE,quem decide que vida vale mais que a outra é o homem,certo? Então gente,temos que aceitar isso,porque é assim,jamais vamos ver um animal dominando um homem sem ser pela força fisica,usando o homem para beneficio proprio como o homem faz com os animais.As coisas estão postas assim.
    E repito,pq ngm se revolta com as bolsas de cobra e jacará que sao mais normais do que imaginamos? Ahhhhhhhhhhhhhhhhhh que coisa.

  • luísa

    “Como carne,‭ ‬uso couro e estou morrendo de pena da raposa.‭ ‬Poderia ser mais ridícula‭?” Total me identifico!
    Esse caso da Arezzo serviu, para muitas pessoas, como uma válvula de escape. Tem gente que passa a vida sem fazer nada nem se posicionar, mas quando surge uma “oportunidade” já sai tacando pedras. Não é bem por aí!

  • rose

    Nem precisava falar tanto. Podia ser só “Gostaria que gerasse uma mudança real ‬no comportamento das pessoas”. Nada de carnes, nada de couros.

  • Karine

    Fui uma das pessoas que pensou a princípio “A Arezzo perdeu a noção mesmo com essa nova coleção, bem no século XXI onde deveríamos ser mais sensatos” mas depois que li seu texto, acho que faz sentido “pensar na situação como um todo”.
    A sociedade É hipócrita e incoerentes, somos humanos e quando colocados em uma situação onde somos obrigados a pensar, recorremos ao sentimento, à emoção. NInguém liga pro couro da vaca pq já virou “parte da moda”, não choca mais. Daqui alguns anos, capaz de pele de raposa não chocar mais também, e aí encontraremos outros motivos para ter a atitude “histérica” da qual você menciona… Somos humanos e incoerentes, você falou tudo quando escreveu isso.
    Enfim, a situação no geral é triste, mas o mais triste mesmo é que daqui a pouco teremos outro “escândalo” que nos fará esquecer de tudo isso…
    Beijos

  • Janaína Rodrigues

    Gostei do texto, como já disseram foi sem ataques histéricos. Mas em relação à questão de comer carne, acho que você se esqueceu que não passamos de animais. Não somos os únicos na cadeia alimentar que fazemos isso. A diferença de matar um animal para comer e para usar apenas como “enfeite” em um sapato ou bolsa, para mim, é imensa, mas isso é questão de ponto de vista. Agora querer que as pessoas parem de comer carne só por pena da vaca ou seja lá qual for o animal, é muita utopia. No final das contas não passamos de animais. Animais que acham que são superiores aos outros. E se coubesse à vaca nos comer, ela comeria. Mas compreendo e respeito seu ponto de vista.

  • Gabriela

    AHAZA NUTA! PQP

  • Beatriz

    Olha, eu concordo que matar animais para ter conforto não é justo, mas não concordo em usar a arezzo como exemplo, eu fiquei sabendo da noticia no facebook, logo fiquei horrorizada e prometi para mim mesma não usar mais os sapatos da arezzo, mas não resisti e ao ver a vitrine entrei e perguntei para a dona daquele setor, ela falou que todos os produtos da arezzo são legalizados pelo Ibama e etc..
    E eles não matam o animal e sim pegam a pele do animal já morto.

  • Luiz

    Acho interessante quando as pessoas colocam que “comer carne é algo biológico”. Não é, mas isso nem é o fato. Nada que diz respeito ao ser humano é “biológico”. Ser humano é um bicho cultural, zero biológico. A questão é que, se o argumento for “comer carne é normal porque estamos inseridos na cadeia alimentar” seria justo o suficiente dizer que o certo seria quem come carne caçar os animais para o consumo próprio, certo? Porque é zero biológico manter os animais sob condições deploráveis para o consumo “natural e de acordo com a cadeia natural” da sua carne, correto? Se você come carne orgânica, galinha free-range, tranquilo. mas tenho certeza que 95% das pessoas ou mais não comem e acham que o processo de matar uma vaca é super tranquilo. E não é. É tão mesquinho quanto o de matar uma raposa ou um coelho. Não to julgando ninguém, mas realmente, não tem balança nesse caso. Os dois casos são péssimos. Mas é história pra boi dormir dizer que o consumo de carne é “uma necessidade”. Não é. A gente poderia viver puramente comendo capim que estaríamos vivos. Vivo assim há 5 anos e não tive problema algum… Pra mim necessidade seria se eu estivesse morto, daí seria necessidade. Mas não é. Nada pro ser humano é necessário. Mentira. Prazer é a necessidade mais primordial.

  • Renata de Oliveira

    Concordo perfeitamente com o Luiz aqui.