Autoestima para se conectar

Por Marie Victorino / marie@gwsmag.com

Sabe, eu acreditei por muito tempo em almas gêmeas. Por toda a fase de contos de fadas que as garotas passam. E depois dela também, ainda acreditava um pouco. Hoje eu acredito em conexões. Não sei, não faz sentido que uma alma seja dividida em duas antes de virem ao mundo. Se isso acontecesse, elas não poderiam jamais ser de outro tempo ou de lugares muito distantes.

“I don’t understand how the last card is played,But somehow the vital connection is made.” – Connection (Elastica)

large

Caso fosse assim, penso que a matemática é mais do diabo do que de deus, certo? Ou então isso dependeria puramente do destino e o destino já é outra história. Além do mais acreditar em destino não faz muito bem pra mim, me acomoda. Sou mais do livre arbítrio, do vai lá e faz. Mas por outro lado, acho que a sorte é totalmente aleatória, não é qualquer uma que “for lá fazer”, com poucos dólares, sozinha em NY, vai ser a Madonna. Mas ir lá e fazer o que você acredita vai pelo menos te livrar de uma vida medíocre.

O melhor e o que me faz acreditar que as tais conexões sejam ainda mais reais: não precisam ser amorosas. Existem amizades que ninguém ao redor entende. Existe laço entre pai e filho que é maior, mais completo, não se sabe por que. Apenas é. Às vezes quando você sofre muito você acha que perdeu a capacidade ou o merecimento de “ser feliz” de novo. Entre aspas porque acho que é feliz quem não tem medo de sofrer, quem não se esconde.

É uma questão de liberdade, de como você decide encarar as coisas que a vida te dá. O tempo passa e como tudo, as coisas se ajustam ao novo e você percebe que esse papo de “não ter capacidade de ser feliz” é besteira. Acho que é só um escudo anti-rejeição ou qualquer medo bobo quando na verdade você perdeu foi sua autoestima. E vamos combinar que nos dias de hoje, autoestima custa caro.

São tempos modernos… Somos fortes e indestrutíveis, carência é pros fracos, quem fica vulnerável é quem não se dá valor, seu recalque bate no meu six pack e volta. Amor pra quê? Pra sofrer? Pra perder? Mas e a balada?

Eu tô a fim de parar de me esconder, de tirar a capa de super poderes que me protege de… de quê mesmo? Ah tá, das reais conexões.

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)
Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr

assinatura Marie_1

 

Tags:


7 + 6 =


0 Comentários