Carta para um cabelo crespo.

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por: Luiza Brasil

cabelos-crespos

Olá querido cabelo,

Tudo bem?

Resolvi escrevê-lo após recordar-me de um episódio um tanto constrangedor, para mim e para você. Lembra de uma vez que estávamos no salão e enquanto nossa cabeleireira atendia outra cliente, resolvi fazer as unhas? Isso faz tempo, acho que uns 6 anos ou até mais. A manicure, que adorava bater um papo e tinha muitas opiniões sobre diversos assuntos que variavam entre política, novela, futebol e celebridades decidiu dar o seu pitaco sobre a minha presença no centro de beleza e, claro, ela não fez a menor questão de te poupar. E em mais um “minuto de sabedoria” daquela senhora, saiu a seguinte declaração: “Ainda bem que você está aqui para dar jeito no seu cabelo. Ele não é adequado para você. Você é muito bonita e ele não te valoriza”!

Te defender? Brigar? Dar uma lição de moral? A minha reação inicial foi de tamanha perplexidade, que eu não consegui pensar em nada disso, somente me limitei em dizer que adequado ou não, aquele era o meu cabelo e que não, eu não estava ali para me submeter a alguma química alisamento.

A sorte, é que tamanha insensibilidade da moça atingiu alguém que talvez tivesse um pouco mais de consciência do poder, imponência e respeito que você, crespo que é, tem e merece. Quantas vezes eu não ouvi relatos de meninas e mulheres que não conseguem se libertar de forma alguma dos alisantes, apliques e até mesmo das tranças?! Eu mesma fui uma que durante muitos anos encarei o rastafári como um “estado natural” seu e só depois dos 18 anos de idade é que consigo passear com uma certa tranquilidade por vários estilos, que incluem o black power, o nagô, o midi, o grande, o beeeem grande, o side hair…Vejo que hoje em dia a transição do cabelo com química para o crespo, tornou-se uma prática bastante comum e divulgada nas redes sociais. Não é algo fácil, pois até mais do que mulheres que cultivaram sua “crespisce” desde que nasceram, esse “ritual” de passagem em uma idade em que você já tem uma personalidade definida, já construiu uma imagem, mexe bastante com o nosso ego, nossos medos e inseguranças. Isso é realmente um ato de coragem, de bastante admiração e digo até mais, uma ato de amor para/com você. Sinceramente, queria enviar uma flor e um “muito obrigada” para cada uma dessas guerreiras.

Captura de Tela 2014-07-16 a_s 18.27.08Ilustração: Dê Lírios

Bem aventurados foram os pais da pequena Blue Ivy Carter que simplesmente balançaram os ombros para um abaixo-assinado no qual era pedido para que eles penteassem as madeixas de sua pequena de apenas dois anos, sob alegação de que a filha do casal-astro Jay-Z e Beyoncé andava por aí com dreads e tochas de cabelos embaraçados. Mal devem saber essas pessoas o quanto essa questão dói, fisicamente e moralmente, para as meninas, que desde tão novas são condicionadas a vê-lo como feio, fora do padrão,“inapropriado”, “ruim”, entre outros termos mais ou menos grosseiros, e que de alguma forma encaram o fato de você ser crespo uma ofensa e te rebatizam com nomes como “étnicos” ou “toin-oin-oin”. Sem contar os inúmeros procedimentos que muitas vezes passamos para deixá-los com um aspecto mais “sociável”.

Ah, outra coisa que incomoda profundamente é a condição de algumas pessoas para você crescer e aparecer. “Ah, mas o seu cabelo ainda faz uns cachinhos”, “Mas vc viu o cabelo da fulana? Faz uns cachos maravilhosos! Aí sim fica bonito!”, “ Passa pelo menos um relaxante para soltar essa raiz dura”. Muitas pessoas só gostam de você de fato se for minimamente aceitável, pois você é impactante e, pasme, te consideram agressivo.

Não passa na cabeça delas que assim como os lisos, existem vários tipos de crespo e não necessariamente é aquele cabelo enrolado que todos querem imitar, mas caso não seja, ainda sim temos total condição de deixá-los macios, exuberantes e lindos, sem precisar escondê-los ou recorrer a métodos extremamente agressivos, que modificam totalmente a sua estrutura como os permanentes. Nem eu, nem você precisamos passar por isso, apenas aceitem.

Bom, hoje fico por aqui. É claro que eu sei que tudo que tem um pouco mais de personalidade, tem às vezes seus dias temperamentais, difíceis e que é necessário um pouco mais de paciência. Mas quero deixar bem claro que não tenho absolutamente nada contra você. Pelo contrário! Te valorizo, te respeito, tenho orgulho e gosto de você assim, bem do jeito que você é. VOCÊ PODE TUDO!

Beijos afetuosos,

Luiza.

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura Luiza_1 copy


Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/carta-para-um-cabelo-crespo/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
1 Comentários

Tags:

Pintando o cabelo de rosa em casa

Por Carol Guido / carol@gwsmag.com

Tomei coragem! Quem nos acompanha no Insta (@girlswstyle, segue aí!) já viu que eu pintei meu cabelo de rosa e que foram alguns erros e acertos até conseguir fazer a cor pegar. Conversei com outras meninas que tem cabelo colorido, peguei muitas dicas de vocês nas redes sociais e entrei em incontáveis blogs e vídeos no Youtube para aprender tudo de cabelo colorido para conseguir fazer em casa.

Só para dar uma introduzida no assunto para quem nunca leu nada: Pintar o cabelo de colorido basicamente consiste em descolorir o cabelo até ficar quase branco para que o colorido pegue e depois pintar com tonalizante (ou tinta) da cor que preferir.

Então vamos lá que vou contar tudo que fiz e como cada produto funcionou no meu cabelo.

 cabelo-rosa-inspiracoes

 

As coisas que você tem que ter cuidado

Seu cabelo pode estragar

Eu não sou muito apegada ao meu cabelo. Já pintei de diversas cores, cortei cada hora de um jeito e por isso me senti segura em fazer tudo em casa. A Marie, que já teve cabelo platinado homemade, também tem uma vasta experiência e me ajudou na aventura.

Então a primeira coisa importante pra se ter em mente é: saiba que você corre riscos de sim, deixar seu cabelo mais ressecado, poroso, ou até estragar. Por que? Porque descolorir o cabelo é um processo muito agressivo e você não pode fazer repetidas vezes num curto período de tempo. Ou seja, as únicas garotas que podem ficar despreocupadas são as que tem cabelo loiro (tipo russa) natural.

Colorações anteriores atrapalham

Outra questão importante é se seu cabelo já tiver outras colorações. O meu tinha uns 4 dedos de raiz virgem e restante com um tonalizante caramelo (contei sobre ficar ligeiramente ruiva aqui). Isso atrapalhou bastante a nossa vida porque o descolorante não pegou direito onde o cabelo tava tingido, em compensação na parte virgem ficou super loiro, quase branco como eu queria.

Seu tipo de cabelo

O meu é muito oleoso. Muito mesmo. Do tipo que precisa lavar todo dia, precisa de shampoo especial passado pela dermatologista (Dra Bianca <3) e etc. Então, pra mim, esse processo todo que resseca muito o cabelo, é de uma certa forma, bom. O cabelo aguenta bem, mas as pontas sempre sofrem. Tem umas partes no comprimento e pontas que ficou com um frizz estranho que só dá pra sentir quando você pega. Sigo hidradando.

E se você tem cabelo normal, seco, sensível, precisa procurar cuidados específicos para te ajudar na saga. Mas o conselho geral é: triplique os cuidados e hidrate muito.

Fazer ou não em casa

Fazer no salão é sempre melhor, gente. Claro que tem que ser um lugar moderno (que entenda a pegada dos cabelos coloridos) e um bom profissional, mas considerando essas obviedades, é certo que os cabeleireiros vão saber muito mais de cabelo que nós.

Eu optei por fazer em casa porque, por mais que eu fizesse a primeira vez no salão, a manutenção da cor é frequente, então eu não ia poder gastar indo no salão todo mês. E conhecendo meu cabelo como eu conheço, já tendo pintado e feito outras aventuras em casa, sabia que daria certo.

A cor

Existem diversas tonalidades dentro de uma só cor. Eu só tinha uma exigência: que meu cabelo não ficasse rosa clubber. De resto, poderia ser qualquer tom de rosa que eu ia ficar feliz, ainda mais sabendo que desbota rápido e o tom desbotado é o meu predileto. Então não ser muito exigente com o tom exato é uma das coisas que me deu mais segurança pra fazer em casa. Acho que se você tiver muita fixação em uma cor específica, melhor desapegar e aceitar que o legal é ter seu cabelo colorido.  De uma lavagem pra outra tudo pode mudar e a vida é assim.

Bom, depois das mil e uma recomendações, vamos ao processo.

cabelo-rosa-descolorindo_2

Passo 1: Descolorir

Como eu fiz:

Misture a água oxigenada, o pó e as ampolas aos poucos até fazer um creme homogêneo (com a consistência tipo de Ketchup. Hahahah Minhas referências são péssimas).

Separe o cabelo em mechas.

Depois peça ajuda pra a sua amiga mais experiente passar o descolorante mecha por mecha, com muito cuidado para não deixar nada de fora. Quando acabar, passe papel alumínio (sim, bem tosca) em volta da cabeça com o lado fosco pra dentro.

Nós deixamos agir no meu cabelo 45 minutos. Você vai ter que sentir quanto tempo o seu precisa para descolorir. Mas não é recomendados deixar muito mais que isso.

Então lavei o cabelo normal para tirar toda a descoloração, secamos e repetimos o procedimento, desta vez deixando agir por 30 minutos. Alerta de perigo aqui: eu descolori 2x seguidas por que meu cabelo se comportou muito bem. Não ficou poroso, elástico, nada. Tem que tomar muito cuidado, tem relatos de pessoas que falam que o cabelo quebrou na metade, caiu, coisas do tipo. Se liguem, hein! Se tiver insegura, faz no salão!

Resultado:

Meu cabelo ficou um strawberry blonde bem digno. Fiquei com ele assim por mais ou menos duas semanas, só curtindo e hidratando dia sim dia não. Passei ampolas, máscaras, coisas do tipo. E nada no couro cabeludo, que no meu caso é oleoso.

cabelo-rosa-coloração

Passo 2: Colorir!

Na primeira tentativa passei essa Exotic Colors cor Rosa Super Blonde que ganhei da loja Ethus (lá tem roupas lindas, vocês tem que ver!). Não deu certo pra mim por que meu cabelo não estava branco como deveria. Eu só fui saber disso depois, quando postei no insta e todo mundo comentou que o problema tava aí.

Passei umas duas semanas pensando se daria certo tentar outros tonalizantes mais fortes ou se teria que descolorir mais. Mas resolvi tentar como estava. A única coisa que fiz para amenizar o avermelhado/amarelado foi passar este shampoo da Alfaparf chamado Alta Moda. O efeito é bem legal, mas dura pouco. Você tem que lavar sempre para ir desamarelando progressivamente. Ele tem um tom mega lilás que até mancha um pouco a mão. Mas nada que uma lavada não resolva.

Como eu queria ir logo pro colorido, fiz minha segunda tentativa, que deu certo, o tonalizante Yamá Fashion Colors.

Como eu fiz:

Misturei o tonalizante com a máscara hidratante.

Fiz isso por que o Yamá tem uma cor muito forte e eu queria amenizar um pouco para não ficar com o cabelo clubber. hahaha

Lavei o cabelo com shampoo normal, depois com ele ainda úmido, passei o creme colorido em todo o cabelo, mecha por mecha. Não precisa pincel, pode ser feito com a mão mesmo.

cabelo-rosa-resultado-final

Resultado:

A cor ficou linda! Durou uma semana e meia. Sim, muito pouco! Mas lembram que contei que lavo o cabelo todo dia? Pois é. E eu não quero passar tinta (que fixa muito mais que tonalizantes) por que elas são mais agressivas. Quero deixar meu cabelo o mais hidratado possível.

Ufa, escrevi uma bíblia!

Mas espero que tenha sido útil.

Contem nos comentários o que vocês acharam, se tem mais dicas e ideias para cabelos coloridos. Vamos trocar figurinhas!

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)
Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:
Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS
assinatura-Carol_11

Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/pintando-o-cabelo-de-rosa-em-casa/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
8 Comentários

Tags:

Mas o seu cabelo é tão lindo! Por que cortar?

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por: Isa Freire

cabelo-grande-isa

Há 2 anos comecei a pensar em cortar o cabelo, mas deixa eu começar pelo começo: desde a 3a série do colégio, eu desfilo por aí longos, encaracolados e selvagens cabelos loiros. Em algum momento eu pintei ele de ruivo, preto e fiz alguma dessas escovas da modernidade, mas digamos que dos meus 10 aos 26 anos eu tive o mesmo cabelo por 99% do tempo. E como eu amei esse cabelo. Jurava (e juravam) que eu tinha algo que poderia ser chamado de Síndrome de Sansão, aquele cabelo era meu diferencial, minha identidade e minha definição. Tinha certeza de que cortando, pintando ou alisando ele, eu não seria mais a Isa. A Isa era aquela do cabelo bagunçado e ponto.

corte-cabelo-isa

De dois anos pra cá, uma vontade louca de cortar esse cabelão começou a gritar aqui dentro. Acho que alguma parte de mim já sabia que eu não era mais aquela Isa, mas a outra parte morria de medo de jogar fora aquela identidade, toda a minha beleza, que por algum acaso eu achava que provinha do meu cabelo misturado com o resto todo. As pessoas me definiam por ele. As pessoas diziam “não faz isso..”, “mas o seu cabelo é tão lindo, por que cortar?”. E bom, isso atrasou todo o processo. Eu voltei a ter medo de me perder se cortasse o cabelo.

aspas-isaMas finalmente, eu identifiquei que o medo era a única coisa que me impedia, criei coragem e decidi entrar pro time das descabeladas de cabelo curtinho. E enquanto eu me olhava no espelho e via todo aquele cabelo indo embora, fui percebendo que minha identidade não tava indo embora com ele. Que minha beleza não derivava nem do meu cabelo, nem de nenhum outro atributo físico. Minha identidade, minha beleza, minha segurança, minha força e minha coragem não estavam no meu cabelo, estavam dentro de mim, onde sempre vão estar. E foi tão lindo me identificar comigo mesma, ainda que diferente. Sinto que sou mais eu agora do que antes, esse era o cabelo que eu deveria ter. As lições dessa história são: sejam corajosas, a verdadeira beleza está do lado de dentro das pessoas e o que importa é se olhar no espelho, se reconhecer e ter certeza de quem você é.

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)
Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:
Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr
 
 
assinatura Isa

Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/mas-o-seu-cabelo-e-tao-lindo-por-que-cortar/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
Comentar

Tags:

Ficar ruiva: Missão dada é missão cumprida!

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por: Olivia Amsler

Por muito tempo paquerei cabelos ruivos. Aliás, até decidir pintar, paquerei muito, muuuuito mesmo. Só que eu achava que era a coisa mais dificil do mundo. Quando meu cabelo louro escureceu pra cinza, resolvi começar a fazer luzes e com elas fiquei por aproximadamente 8 anos. Um belo dia me olhei e pensei “agora chega”!

Como eu não entendia nada de nada (comprar tinta e água oxigenada era tipo falar grego pra mim), minha primeira tentativa de virar ruiva foi no salão mesmo. Mostrei 79 mil fotos pro cabeleireiro e ele não quis pintar, disse que ruivo era muito complicado. Me colocou maior terror: que não tinha mais volta uma vez que pintado, que era dificil chegar no tom e que eu ia gastar fortunas porque tinha que retocar todo mês e ainda desbotava. E nesse dia saí de lá com minhas luzes de sempre mesmo, né? Como todo aquele terror, amarelei, óbvio. Tristemente, na minha primeira tentativa de virar ruiva, eu não virei ruiva.

loura-antes

 

Minha raiz cresceu um tanto e quando foi a hora de retocá-la, voltei ao salão com minhas 79 mil fotinhas e falei: “Vamo nessa. Nem fale nada. Eu quero. Vai”. Não era possível gente, tanta gente conseguia, por que eu não ia conseguir? Então, tentei dar uma orientada no cabeleireiro sobre a cor específica que eu queria, mas ele me disse que usava INOA e que ia fazer uma mistura própria dele, que não era tão simples quanto eu imaginava. Foi logo me tirando de cena! Tá bem, tudo bem, né? Vou confiar.

E saí de lá adorando a cor que ele tinha feito. Só que, com meu cabelo metade de luzes metade virgem, deu uma semana e a cor saiu. Ela simplesmente não pegou. E lá fui eu de novo pro salão. Aí meu cabeleireiro que eu amava e já estava comigo há 8 anos, resolveu que ia “pintar bastante para o vermelho pegar bem”. E foi assim que saí de lá igual a ARIEL e com ódio no coração.

ruivo-ariel

Resolvi ficar fria e ir atrás das minhas amigas que pintavam em casa, sozinhas. Eu via que a cor delas era linda. Eu ainda não queria desistir. A cor finalmente desbotou… E assim começou minha saga:

Bom, primeiramente, sobre a tinta da INOA: esquecendo que eu odiei a cor, achei que meu cabelo ficou bem hidratado, melhor até que antes! A tinta durou um século, mas tambem era inverno, logo, menos praia e sol queimando a cor.

tinta-casting

– Casting Cor Caramelo 834

Na tentativa (e ansiedade) de amenizar o vermelho, segui a primeira indicação que me deram. Fui na farmácia e comprei essa caixinha. De primeira foi bom porque quebrou o vermelho e começou a puxar pro laranja, que eu sempre curti mais. Usei umas 4x. Ah, um dia minha mãe me avisou que no meio, atrás, estava escuro (eu não tinha pintado direito). Foi quando eu comecei a pedir ajuda, por que a parte de trás, pra mim, é a mais difícil. E quando faço um coque ou rabo de cavalo, aparece.

Onde comprar: Na farmácia

tinta-wella

– Wella 8/4 + Água Oxigenada 20 vl

Comecei a achar que meu cabelo tava caindo muito e que eu deveria tentar uma tinta de uma qualidade um pouco melhor, não só tonalizante. Tem que comprar potinho, luvinha (se não, mancha a mão), pincel, prendedores de cabelo. Já gostei bem mais da cor! Mesmo achando que no fundo ainda estava um pouco escuro (mais pro marrom que pro laranja). Usei umas 3x. Na terceira fui num salão. Olha, é muito bom quando alguém faz tudo por você! Se estiverem com um dinheirinho a mais, eu recomendo. Você pode pagar apenas a aplicação.

Onde comprar: Tonicha e outras boas lojas de cabeleireiro.

tinta-keune

– Keune 6/4 + Água Oxigenada 30 vl

Eu já estava querendo aumentar o alaranjado do meu cabelo, né? Mas quando cheguei na loja, não tinha nem um tubinho da Wella. Perguntei se tinha da Keune e descobri que sim, mas essa só vendia para profissionais. Como essa loja tem um salão próprio, lá fui eu. Gente, achei mara. Em seguida peguei muito sol e isso ajudou a abrir a cor mais rápido, mas eu definitivamente estou mais feliz com a água ox 30 vl.

O lado ruim é: o preço do Keune é muito maior e, pelo menos o meu cabelo, ressecou muito mais. Pode ter sido pela OX ou pela tinta. Ainda não sei dizer. Mas assim: tem-que-cuidar, se não seu cabelo vai acabar virando uma palha. E as mocinhas que secam muito o cabelo então, atenção redobrada.

Onde comprar (e aplicar): Tonicha

Independentemente disso tudo, vale ressaltar que essa é a minha experiência. Por isso, importante é saber que cada pessoa tem um tom de pele e um tom de cabelo, o que gera experiências totalmente diferentes para cada um. Meu caminho foi olhar um cabelo e na cara dura perguntar qual a tinta. Existem outras mil tintas, mas essas foram as dos ruivos que mais amei e que em mim funcionaram.

E se você realmente quer virar ruiva meu primeiro conselho é: KEEP CALM E… mentira. O conselho é: tenha paciência. É capaz de você não conseguir a cor que você ama nem de primeira, nem de terceira!

Mas com calma, cuidado pra não estragar e observando como seu cabelo funciona, você chega lá! Boa sorte :)

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)
Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:
Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr

Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/comments?id=http://www.girlswithstyle.com.br/ficar-ruiva-missao-dada-missao-cumprida/&summary=1): failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 400 Bad Request in /home/gwsmag/www/wp-content/themes/gws/archive.php on line 63
Comentar

Tags: