The Pretty Reckless no Circo Voador e o estilo de Taylor Momsen!

Por Nuta Vasconcellos / nuta@gwsmag.com

Hoje resolvi fazer um post dois em um por dois motivos. O primeiro é que eu queria falar sobre o estilo e atitude da Taylor Momsen tem um tempo. Depois do show do The Pretty Reckless, banda que Taylor é vocalista, que rolou aqui no Circo Voador no último domingo e me fez sentir uma vontade absurda de escrever sobre. Então voilá aqui está o post de hoje. A ideia inicial era fazer um post como fizemos no show do The KooksThe Naked and Famous. Mas sabe quando tudo teima em dar errado? O dia do show do The Pretty Reckless foi (quase) um deles.

“Quase” porque amamos o show, mas a parte do “errado” é que foi difícil fazer um bom trabalho. Chegamos em cima da hora, estava caíndo uma chuva absurda no Rio e nossa fotógrafa mágica de lente incrível Carolina Vianna não pode ir com a gente. Mas acho que as fotos da Carol Guido mostram bem a loucura que o Circo estava esse dia (nunca, nunca vi tão cheio.)

Conheci Taylor Momsen (como a maioria de vocês acredito eu) no seriado Gossip Girl onde ela interpretava Jenny Humphrey mais conhecida como Little Jenny. E em um mundo de apaixonadas por Blair e Serena, eu sempre curti little Jenny. Sua rebeldia (na medida certa pra um seriado vamos dizer “para patricinhas”) me passava verdade e era a única dali que eu conseguia me identificar. Eu não consegui assistir Gosspip Girl por muito tempo e parei no final da terceira temporada, mas minha curiosidade pela Taylor se manteve.

Em 2010 quando ela “reapareceu” pro mundo com os olhos carregados de sombra + lápis preto e fazendo “stripe tease” no clipe de “Make Me Wanna Die” muita gente julgou, criticou e até zuou Taylor Momsen. Ok, esperavam que ela virasse mais uma garota comum, perfeitinha de Hollywood querendo entrar no top 10 mais bem vestidas da noite.

Mas Taylor queria bem mais que isso e com sua música e atitude provou que não é só de clichés femininos vivem as garotas.

Como não amar o visual de Taylor Momsen? Uma mistura de punk, grunge e gótica que consegue ser super sexy e nada óbvia.

Jaqueta de couro com tachas e spikes, muitos acessórios, pulseiras de metal, anéis e colares. Blusa-vestido, pernocas de fora e meias 7/8 sempre destruídas ou com algum detalhe super diferente, botas e sandálias super altas camiseta de banda com as mangas cortadas, cabelo loiro platinado e extensões bem longas!

Como não amar a música de Taylor Momsen? Em uma época de tanta música hipster/indie surge uma garota fazendo rock’n’roll de verdade. Escrevendo letras profundas como a de Nothing Left to lose” e fortes como “Hit me like a man”. A postura de palco de Taylor é de uma legítima rockstar. E sua influência nos fãs de The Pretty Reckless também é de uma legítima rockstar.

Fico feliz de ver que a influência dela é completamente positiva . Taylor deixa claro que levanta a bandeira do seja você mesma no significado real da coisa. Use as roupas que você ama, comporte-se como você acredita ser certo e ame quem você quer amar. #EuSouAssim Toda essa liberdade física e mental que Taylor Momsen prega ficou clara ali naquele Circo Voador lotado. Garotas usando apenas sutiã ou com os seios de fora mesmo circulavam saltitantes. Não tinha nada sexual naquilo. Era apenas liberdade. A liberdade que só o rock’n’roll dá.

Well done Taylor.

 

Tags:


3 + 3 =


0 Comentários