Seu corpo não é uma fruta

Por Girls With Style / gws@gwsmag.com

Por: Maira Schein

tipo de corpo

Não é novidade pra ninguém que várias revistas e sites de moda passam publicando artigos sobre o quão importante é saber qual é a forma do seu corpo e como disfarçar as partes “defeituosas” dele com os do’s e don’ts de como se vestir. Esses artigos normalmente são acompanhados de um guia ilustrado que compara a forma do corpo das mulheres com frutas, objetos e formas geométricas. Porém, o que é dito como um “guia de como se vestir bem”, geralmente serve para reforçar a noção de que algumas formas são mais desejáveis do que outras, e este tipo de objetificação tende a aumentar a vergonha pelo próprio corpo, estimulando transtornos depressivos e distúrbios alimentares.

Se você não sabe, o assunto é mais ou menos esse: Se você tem ombros largos e quadris estreitos a sua silhueta é uma maçã. Se você tem quadris largos e é pequena no busto e nos ombros você é uma pera. E se você tiver cintura fina e bustos e quadris generosos, então você tem a cobiçada silhueta ampulheta! Mas se você não tiver tanta sorte, você não chega nem a ser uma fruta ou mesmo um dispositivo de medição do tempo, você pode ser simplesmente um círculo ou um retângulo. Isso não é sensacional?

Objetificação à parte, há outra questão: e se você não se encaixa em nenhuma dessas categorias? Não sei você, mas esses guias nunca me ajudaram, afinal eu nunca me identifiquei totalmente com nenhuma delas. Eu poderia ser uma pera, afinal eu tenho pouco busto, cintura fina e quadris um pouco largos. Mas aí os meus ombros também são largos, então eu poderia ser uma ampulheta? Mas ainda assim, como eu sou pequena, como um todo eu não pareço tão curvilínea assim, então eu poderia ser um retângulo?

corpo-frutaTodos os seres humanos são tão diferentes, de tantas maneiras, com tantas particularidades, que a gente já deveria saber que não podemos ser classificados. Pode ser divertido quando se trata de astrologia, por exemplo, mas essas coisas são definidas pelo dia em que você nasceu, e não pela sua aparência.

E quando você se encaixa em uma dessas classificações, será que realmente vale a pena se olhar no espelho e pensar “bem, meu corpo tem a forma de uma banana então eu tenho que usar um cinto para dar a ilusão de que eu não me pareço do jeito que eu realmente sou”? Eu acho que não. É verdade, alguns dias é difícil se vestir, e quando a gente tem certas partes do corpo que gostaria de minimizar e outras que gostaria de destacar, é bom saber quais são elas, né? Só que geralmente a gente já sabe, afinal a gente vive nesse corpo o tempo todo e o conhece infinitamente melhor do que esses guias estereotipados de “qual é o seu tipo de corpo e como o vestir”!

A minha opinião é a de que gente tem que vestir o que nos faz sentir bem! E se usar um cinto para dar mais cintura te faz sentir bem e feminina, isso é ótimo! Só que se você não gosta de determinada peça que dizem que você deve vestir porque emagrece, alonga etc, não se sinta obrigada! Esses guias não podem se tornar regras e limitar nossas escolhas de vestir. Nosso corpo não é uma fruta e nós somos livres pra vestir o que diabos a gente quiser.

Post originalmente publicado no blog da Maira Schein, Estilo de Audrey, visitem!

Curtiu o post? Que tal dar uma forcinha e ajudar a gente a divulgar o GWS? Dá um like, compartilha, um tuite também vale! :)

Ah, e pra saber mais do nosso universo encantado, é só seguir a gente nas redes sociais:

Instagram // Twitter // Facebook // Tumblr // Newsletter do GWS

assinatura maira shein

Tags:


4 + 1 =


1 Comentários

  • david

    Alguma pegadinha isso ?